quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Traição no Litoral





 Narração da esposa (por DocecomoMel)

 Fomos eu meu marido e nossa filha passar alguns dias no litoral, e de tiracolo minha filha uma jovem de 20 aninhos na flor da idade convida seu namorado e um casal de amigos.
Até ai tudo bem afinal jovens gostam de companhia de jovens.
A casa que meu esposo havia locado era espaçosa com três quartos, então dividimos bem e todos ficaram bem acomodados.
Com exceção do namorado da minha filha que preferiu ficar na sala para deixar o casal de amigos em um quarto a sós, até fiquei feliz de saber que só assim teria certeza que minha filha não iria dar uma escapulida no meio da noite para ficar com seu namorado.
Mas esqueci de um grande detalhe meu esposo quando esta de folga esquece-se da vida e bebe em demasia me deixando sozinha. Eu sou Joana que apesar dos meus 45 anos ainda sou uma coroa muito tesuda e gostosa. Eu nunca em nossos anos de casados dei algum motivo que desabonasse de minha conduta de mulher casada séria.
Mas as coisas mudaram naquela noite depois de meu marido tomar algumas cervejas e indo dormir cedo.
Eu acordei no meio da noite e vi quando meu esposo dormia tranquilamente, levantei e fui até a cozinha tomar um copo de leite, quando cheguei à cozinha meu coração disparou, pois lá estava o namorado de minha filha vestido apenas com uma cueca boxe branca transparente que mostrava todo contorno de seu membro enorme. Foi algo que ficou impossível de não se perceber, pois o mesmo estava com uma pequena ereção.
Ainda pensei em voltar para o meu quarto, mas achei que como dona da casa quem deveria saber como se vestir e comportar era ele... Quando ele me viu abriu um sorriso. E com certo cinismo falou olá minha sogra.
Olá eu respondi, mas com toda sinceridade estava um pouco sem graça com a situação.
Quando fui pegar leite na geladeira mesmo eu pedindo licença fez questão que minha bunda roçasse em seu cacete, senti um calafrio, afinal depois de tantos anos de casada o sexo vai esfriando e nem sempre temos aquele tesão como outrora.
O fdp percebeu que estremeci falou... Está com frio sogrinha?
Ou saudades dos bons tempos quando meu sogro não se empanturrava de bebida e dava conta do recado direitinho?
 Eu não estou entendendo aonde você quer chegar com esta conversa!
 Pois eu sei onde quero chegar e sem me dar condições de me libertar o meu genro segurou no meu braço e foi me levando ate junto da mesa me fazendo apoiar.
Eu me debatia pedindo que me soltasse, ele apenas dizia.
Ah agora esta dando uma de puritana é? Se gritar mais alto todos vão acordar quero ver quem vai acreditar em você, olhe sua camisola transparente!
Se não quisesse provocar não teria vindo assim, Caracas sou jovem ver uma coroa gostosa como você com estas pernas de fora e ainda estes seios deliciosos com os bicos pedindo para serem mamados. Você pensa o que sou de ferro?
Claro que veio me provocar, pois agora vai ter o que merece.
Empurrou-me na mesa forçando para eu ficar de bruços colocou meus braços abertos com a toalha da mesa me prendeu fez tipo uma algemas de tecido certificou que eu estava presa e começou apalpar minha bunda, dava leves tapas afastou minha calcinha e comecei a me lamber, eu tentava me soltar e com isto mais provocava, ele sorria e quando ele pegou começou a me chupar senti fortes contrações e gozei.
Caracas como eu pude fazer isto eu pensava!
Meu genro nem ligava para o que pudesse acontecer caso aparecesse alguém se deliciou com cada gota do meu gozo.
Depois levantou me deu um beijo e entre sussurros falou sogra gostosa você gozou como uma guria nova verá agora se sabe chupar como uma guria.
Eu parecendo uma gazela toda esticada na mesa com as pernas bambas, pois tinha gozado como nunca estava desconhecendo meu corpo e minhas sensações coisa que fazia tempo não sentia.
Quando meu genro finalmente ficou na minha frente abaixou a cueca e com cacete teso parecendo uma barra de ferro empurrou na minha boca e falou.
Chupa e baba bastante que logo ele vai entrar gostoso em tua sogra safada!
-Tentei fechar a boca ele esticou pelos meus cabelos me fazendo soltar gemido de dor.
Calada, chupa logo senão você vai receber a seco e não vou ter pena de vadia nenhuma, com movimentos de vai e vem meu genro gemia baixinho enquanto eu mesma forçada lhe pagava um boquete, mas foi ficando tão gostoso os movimentos de entra e sai de seu cacete em minha boca que minha cabeça deixou de pensar que estava sendo obrigada a participar e meu corpo correspondia com toda sensualidade.
Ele percebeu que fiquei entregue e foi ficando mais carinhoso até quase momento de gozar. Foi quando segurou minha cabeça fazendo que parasse e dizendo.
-hum minha sogra sabe chupar muito gostoso, mas não tenho muito tempo.
El saiu veio por trás deu uma lambida na minha xoxota deixando mais ainda meladinha elevou seu corpo e começou a meter seu cacete com movimentos lentos até que percebeu que estava todo dentro e foi acelerando com movimentos mais rápidos até explodir em um gozo.
Soltou um gemido alto explodindo dentro de minha xoxota me enchendo de leite, ficou alguns minutos com respiração ofegante depois tirou cacete, guardou na cueca me desamarrou e foi até o banheiro. Eu inerte sem saber o que fazer ate que tento levantar e minhas pernas fraquejam quando me dou conta sou amparada pelo meu marido.
Não sei se fiquei feliz ou triste só percebi que ele estava excitado então já deu pra perceber que ele assistiu tudo e não interviu.
Meu marido agora além e ser corno é manso.
Ps. Depois volto para relatar como foi que comecei a dá outros chifre no meu marido desde quando ele sente prazer é mais do que lógico que o satisfaça.


                                     Narração do marido (por Tiozão)

Sou Marcos, e mina esposa Joana, sou casada já há 25 anos, eu na casa dos 50 e ela com 45, ainda muito bonita e com tudo em cima, cabelos aloirados, coxas grossas e lisinhas, bunda deliciosa e durinha, seios médios com seus bicos sempre eriçados.
Temos uma filha, Deise, uma doce garota na casa dos 20 anos, minha filha namora Júlio, um rapaz de porte atlético, com seus 23 anos, Rapaz alto, forte, cabelos curtos, músculos salientes.
Bem, fomos para a praia, em nosso apartamento, para o réveillon, Deise nossa filha levou uma amiga e seu namorado.
Iriamos ficar uma semana no litoral e assim poder curtir nosso feriadão.
Na hora de dormir, claro, eu e Joana ficamos em nosso quarto, Deise e sua amiga no segundo quarto, e colocamos Júlio acomodado no sofá, assim teoricamente nossa filha ficaria com sua pureza estaria preservada.
Mas, na verdade, eu não contava com Joana e Júlio...
Vou explicar:
Na primeira noite, nada de anormal aconteceu, e todos dormiram satisfatoriamente bem, o que não poderia dizer da segunda noite.
Acordei de madrugada, e Joana não estava na cama, até ai, nada de se estranhar, pois ela poderia ter ido ao banheiro, ou tomar uma água.
Estranhei sua demora em voltar, me levantei e fui em direção à sala.
De onde estava vi uma luz fraca na cozinha que julguei ser a geladeira, e realmente era, mas quando me aproximei vi com meus próprios olhos, Joana de quatro no chão, sua camisola levantada deixando sua bunda exposta, e por trás dela Júlio, que a fodia em movimentos fortes e cadenciados.
Não me viram, e eu fiquei estático, Joana soltava leves gemidos, se segurando visivelmente para ninguém escutar.
Não sabia o que fazer de início fiquei puto e queria acabar com tudo aquilo, encher o garoto de pancada e colocá-lo para fora.
Mas todos ficariam sabendo que eu era corno e minha esposa uma putinha.
Esses pensamentos rodopiaram em minha mente , a adrenalina subiu, senti um nó na garganta, e, junto com isso tudo um tesão sem igual.
No momento só podia ficar ali, espiando, Joana às vezes olhava para o garoto e este socava com mais vontade.
Percebi Joana muito excitada, realmente com muito tesão, meu genro estava currando minha esposa com gosto, com volúpia.
Vi seu pau escapar e subir por sobre sua bunda, e que pau, muito grosso, cabeçudo, estava todo lambuzado pela buceta de Joana, fiquei curioso da esposa ter aquentado aquilo em sua buceta, mas enfim, quase gozei quando ele colocou de volta dentro de sua buceta.
Foderam acho que uns 15 ou 20 minutos, percebi Joana gozando pelo menos três vezes, o que depois eu soube que foi mais, então percebi o garoto se contorcendo, com caretas, parou com a pica fincada dentro da buceta dela, estava gozando, enchendo sua buceta com porra.
Imediatamente corri para o quarto e me deitei, fingindo dormir.
Não demorou 5 minutos Joana veio, olhou para ver ser eu estava dormindo e se deitou ao meu lado.
Ela estava suando, cheiro de sexo no ar, estava um pouco ofegante, mas se controlava para não me acordar.
Eu já não tinha mais raiva, mas sim muito tesão, num salto brusco, pulei em cima dela, comecei a beijar sua boca, ela tentou se desviar, mas fui forçando o beijo, levei uma mão em sua buceta e ela segurou, forcei rasgando sua calcinha, e num gesto brusco meu pau entre suas pernas, penetrando sua buceta em uma só estocada.
Ela tentava me parar, mas assim que meu pau entrou e comecei a estocar, ela como gêmea aceitou seu macho.
Sua buceta estava melada, quente e inchada, mais aberta que de costuma, mais macia também.
Com certeza tinha ainda a porra fresca do garoto.
Ela começou a gemer baixinho, então disse em seus ouvidos o que tinha visto, ela imediatamente tentou me empurrar, eu a beijei e disse que a amava, que aquilo tinha me dado tesão.
Joana começou a chorar, disse que não queria aquilo, que aconteceu, foi inevitável etc..
Tapei sua boca com um beijo, comecei a fode-la como o garoto a fodia, rapidamente ela gozou de ficar com as pernas moles, sendo em seguida eu a gozar em sua buceta.
Descansamos um pouco e ela me pediu perdão, conversamos a respeito, ela disse estar arrependido, que me amava e tal, também disse que a amava e que estava tudo bem, que no inicio eu fiquei puto, mas começou a dar um puta tesão vendo ela ali fodendo gostoso, e que tinha ficado curioso de ver o tamanho da jeba do garoto em sua buceta.
Ela, mais calma, agora sorriu, falou que realmente foi difícil a entrada , mas que depois que acostumou, ficou delicioso, um pau muito grosso e gostoso.
Contou que tinha ido tomar água, e o encontrou na cozinha em frente à geladeira, que foi passar por ele e pelo espaço do apto acabou encochando sua bunda, percebendo que ele estava de pau duro, e que pau.
Ela disse, que isso menino, não pode ficar assim pela casa, então ele a pegou pelo braço e simplesmente a beijou, dizendo que ela estava um tesão com aquela camisolinha transparente e com a calcinha minúscula aparecendo.
Joana jurou que tentou se desvencilhar, mas ele a segurava forte, beijando e sarrando suas coxas, ela foi ficando excitada com aquilo, e que aos poucos foi cedendo, pois era de carne e osso.
Eu mais uma vez a beijei dizendo que a amava muito, e que estava tudo bem, passei mão em sua buceta pra lá de melada, e disse em seu ouvido, - Nossa amor, que buceta corajosa, aguentou tudo aquilo de forma muito valente, e ainda ganhou leite quentinho.
Joana sorriu e me beijou, dormimos.
Acordamos cedo e todos fomos à praia, o garoto não olhava para mim, mas percebia que comia Joana com os olhos.
Na praia enquanto estavam no mar, eu e Joana conversamos muito a respeito, e como ela tinha gozado muito em sua pica.
Falei diretamente a ela se topava mais uma foda com o garoto, mas agora em nossa cama.
Chamou-me de doido, que eu estava pensando dela etc., mais uma vez a beijei não deixando falar, no fim acabou topando.
Em nosso apto, todos foram dormir menos eu e Joana, que em nossa cama ficamos nos bolinando, sua buceta estava bem molhada, seus bicos dos seios eriçados.
Disse a ela para ir buscar o garoto na sala, ela se levantou colocou um Hobbys sem nada por baixo e se aproximou do garoto, e este sem pudor nenhum enfiou a mão por baixo, percebendo sua nudez íntima.
Puxou ele pelo braço e este veio, mas estranhou ela puxando ao quarto, ele se retesou para não ir, mas ela disse - Está tudo bem amor, pode vir, vamos nos divertir mais um pouco.
Ele entrou e eu os aguardava, dizendo ao garoto para ficar a vontade, pois sabia de tudo já.
Este não se fez de rogado, já tirando a bermuda e mostrando seu pau a quem quisesse ver.
Tirou o hobby de Joana já beijando - lhe a boca, um beijo ardente, correspondido de pronto.
Logo estavam num gostoso 69 e eu ao lado deles, me punhetando devagar, em seguida ela fez questão de ir por cima dele, fazendo sua pica sumir mais uma vez em sua buceta.
- É assim que você queria ver meu corninho?
-Sim amor, que buceta corajosa você tem, que linda essa pica toda dentro, fode, goza bem gostoso.
Joana com maestria começou a cavalgar gostoso na pica, já gozando em seguida, mudaram de posição e o garoto agora a currava com gosto, fodendo sua buceta e ela falavam ao meu ouvido.
- Amor, ele tá arrombando minha bucetinha amor.
Foram vários gozos de ambos, onde só me aproximei depois do garoto saciado, meti em sua buceta aberta pela espada do mesmo, e já não me aguentando também gozei em sua buceta.


Docecomomel / Tiozão




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...