quinta-feira, 9 de abril de 2015

Desejos e Taras!








Sempre eu tive um grande desejo pelo meu primo Eduardo, queria sentir o calor de seus braços.
Mas naquele dia em particular não parava de pensar nele.
Ele estava tomando banho e deixei à porta do banheiro aberta eu entrei.
Assustei-me, mas fiquei quieta a cena que desenrolava no Box do banheiro era fenomenal.
Eduardo estava se masturbando!
E, diga-se de passagem, eu não sou muito conhecedora de órgãos masculinos, mas aquele cacete em riste com uma envergadura era exuberante no tamanho e na grossura, falar logo popularmente.
Era um senhor cacete.
Poxa mesmo depois do que eu vi na noite anterior o primo Eduardo e sua namorada transando ainda tinha pique para se masturbar.
Logo cedo. Hum isto é muito bom.
Um garanhão.
Só de pensar no que eu tinha ouvido e visto fico super excitada.
Mas fazer o que não é.
Só bater uma siririca e dormir.
Sentiam-me culpada por sentir intensos desejos, mas eu desejava-o ardentemente e não conseguia parar de pensar em fazer sexo gostoso. Sem limites.
Mas eu sabia que ele jamais tomaria a iniciativa, mesmo que eu sinto que sempre fica me olhando e não para de alisar o cacete quando estamos a sós para disfarçar uma ereção.
Fui tomar banho e me masturbei intensamente e tive um orgasmo maravilhoso.
Queria meu primo me possuindo fazendo-me mulher, saciar os meus desejos de moça recatada, mas com anseios de uma puta e safada. Claro que já dei para um namorado, mas na verdade anseio pelo primo Eduardo.
Eu não conseguia parar de pensar em fazer sexo
. Sentia vontade de ser uma puta.
Queria que ele me desejasse.
Mas precisava tomar iniciativa e fiquei pensando como!
E adormeci.
Já era bem tarde quando eu ouvi alguém chegando sai do meu quarto e dei de cara com Eduardo que estava chegando da casa da namorada.
Indaguei Eduardo chegando uma hora dessas, qualquer dia você já dorme com sua namorada.
Não...
Não Marcela dormiu não apenas namoramos e volto para o meu cantinho...
Bem apenas comentei, mas bem que se fosse eu não o deixaria vim embora tão tarde.
-Mas por quê?
-Ora Eduardo depois de uma boa transa ficar abraçado com seu macho até adormecer em seus braços é uma coisa muito gostosa.
Mas Marcela!
Você diz estas coisas sabe que qualquer homem pode pensar que está se oferecendo.
Eu mesmo se não fosse seu primo não resistiria.
Eu apenas me aproximei comecei abraçá-lo...
O peguei de surpresa, mas correspondeu aos meus beijos.
Ele disse bem é melhor ir para o seu quarto para se acalmar.
Não Eduardo preciso te dizer agora o que sinto, preciso desabafar.
Disse que estava doida por ele e que não conseguia parar de pensar em ter uma transa com ele.
Que já o tinha visto no banheiro, que fiquei louca de desejo,e que no dia que ele transou com namorada no quarto dele fiquei ouvindo, masturbei muito. Imaginava-me no lugar dela.
E tive convulsões e intensos orgasmos.
Mas... Marcela somos primos!
Não Eduardo não é parente lembre-se você é filho do marido de minha tia, não temos parentesco.
Mas me considero seu primo.
Considerações à parte, pois eu o considero homem e quero saciar meus desejos com você como homem e mulher.
Nada mais que isto Eduardo, vai fugir da raia?
E sem mais palavras comecei acariciá-lo e falei que ninguém precisava saber do que poderia acontecer que eu assumiria a responsabilidade de meus atos, mas que eu queria ser possuída por ele.
Ele ainda argumentou, mas não aguentou, pois eu o acariciava e seu membro estava rígido de excitação.
Fomos para o seu quarto depois de alguns carinhos,
Ficamos como enlouquecidos pelo desejo carnal.
Queria apenas sexo animal.
Ansiava por seu membro a rasgar minhas carnes.
Ele começou a enfiar forte o cacete na minha xoxota.
Pedia desesperadamente para ele meter com mais força.
Rebolava na sua frente sentindo cada estocada com força e vigor.
Ele me chamava de puta, vadia e safada, fazia-me se comportar como tal.
Quando ele começou a gozar chamando-me de vagabunda e piranha gozei junto
Foi tão gostoso o vai vem de nossos corpos, em um eterno bailar.
Ele encheu minha xoxota de esperma me senti uma vadia, mas completamente feliz...
Não consigo descrever como gozamos tão gostoso.
Mas em compensação abriu espaços pra muitas outras transas nossas.
E cada vez mais a intensidade do prazer aumentava sempre mais.
Eduardo passou e visitar meus aposentos diariamente, nossas noites eram de verdadeiras orgias, com muito sexo.
Delicia saber que Eduardo cada vez realizava uma fantasia nossa.
Ah... Depois eu conto como foi o nosso primeiro anal.
Afff...
Nem gosto de lembrar que fico excitada.




Docecomomel (hgata)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...