terça-feira, 31 de março de 2015

Para ser corno tem que ser manso!







Depois de muita conversa finalmente meu marido me convenceu que lhe desse de presente de casamento um par de chifres, falei bem claro a ele que seria primeira e única vez.
Sei que o amo e tenho medo que isto atrapalhe nosso casamento.
Mas quem ama cuida e cede aos caprichos do seu amado e foi assim que aconteceu comigo.
Em uma quinta-feira dia ensolarado e quente partimos para o litoral.
Meu marido e eu juntamente com um colega de trabalho.
Meu marido é chefe de área de uma grande rede de postos de gasolina tem muito contato com todos os frentistas.
E com clientes ele fica apenas observando o bom atendimento dos funcionários com os clientes.
Portanto ele sabe direitinho quem é bom funcionário ou não.
Este seu colega é Alfredo é um dos frentistas mais antigos da rede.
E alto com mais de 1,85com 90 kg tem cabelos cortados estilo exercito e um sorriso franco e aberto. E negro meu marido sabe que tenho maior tara por negros.
Meu marido já tinha feito todo esquema da viagem só que eu não sabia de todos os detalhes.
Iríamos ficar em uma pousada em um quarto de casal e seu colega em um quarto de solteiro.
Tudo conforme ele mesmo reservou.
Alfredo ia ao banco de trás.
Eles conversavam muito eu me sentia um peixe fora d’água, pois assuntos que rolava eram sobre carros.
Assim nossa viagem transcorria tranquilamente, a distancia era pouco mais de 100 km, meu marido gostava de dirigir.
Chegamos até a pousada e tivemos um contra tempo, que foi sanado parcialmente sem causar transtorno por enquanto.
Fiquei incomodada de ter que dividir meu espaço com o Alfredo afinal a reserva foi feita para um casal.
Poxa querida podemos neste final de semana realizar minha fantasia que você sabe qual é?
-Mas Marcos depois Alfredo vai abre a boca como é que vamos ficar perante seus subordinados no trabalho?
-Abre não amor ele vai gostar tanto de ter relações sexuais com mulher do chefe dele que vai ficar caladinhos para não perder a vez para os outros que com certeza devem morrer de inveja e de vontade de trepar com a mulher do chefe deles.
-Ah ah ah você me tem cada idéia em Marcos! E isto mesmo eu já fui empregado e sonhava com a mulher do dono da padaria amor, você bem sabe que é assim que funcionam as coisas.
Está bom Marcos, mas vou é responsável por tudo viu, claro amor estou louco de vontade de ver você gemendo com outro cacete.
-Sem dizer mais nada eu sai fui tomar banho,quando sai do banheiro e entrei no quarto meu marido não estava,quem estava era Alfredo tomando uma cerveja.
-Olhou para mim e levou o copo a boca. Eu é claro não estava ciente do que poderia acontecer,mas assim que fui até a cama peguei o controle e ia ligando a TV ele falou.
-Bem deixa dizer uma coisa seu marido saiu volta logo, mas para facilitar as coisas ele conversou umas coisas comigo. -Só quero saber se concorda?
-Eu respondi depende do que ele falou com você.
-Me deixaeu dizer logo, pois não gosto de começar e parar de fazer nada, ele simplesmente disse que você concorda em transar comigo, apenas para satisfazer o desejo dele em te ver com outro.
-Eu não esperei ele terminar de falar disse bem assim. Alfredo não é só ele que tem este desejo eu casei nova e só tive ele como homem é claro que tenho o mesmo desejo dele de poder experimentar uma aventura extra conjugal.
-Hum então estamos em comum acordo ele falou.
-Sim claro a não ser que você não sinta atração por mim!
-Está maluca, eu tenho tanto tesão por você Marcela que ainda não te cantei por consideração a teu marido, poxa quanto tempo perdido, quantas punhetas em sua intenção eu já bati que perdi a conta. E sem dizer mais nada abraçou-me com força e em poucos minutos começou a me beijar.Eu me entreguei  a seus  carinhos Alfredo começou alisando meus braços logo minha roupa foi sendo tirada,ainda bem que estava com um vestido leve,ele tirou camisa,depois a bermuda ficando de cuecas.Ficamos em pé no meio do quarto, foi assim que meu marido chegou e nos viu.Não demonstrou ciúmes algum apenas falou façam de conta que não estou aqui...Continuem.
Alfredo não se intimidou caiu de boca em meus seios, chupando-os com delicadeza, mordiscava fazendo com que eu soltasse gemidos roucos. Adoro  isto.Quando Alfredo me pegou  no colo levando até a cama fui ao delírio,ele com delicadeza me deitou  ficou de joelhos entre minhas pernas  na cama, abriu minhas pernas com destreza e caiu de boca.Fui ao delírio  em segundos depois de sentir sua língua morna lambendo minha xoxota,percorrendo por toda extensão chegando até o cu.
Foram minutos de gemidos e êxtase. Até eu não conseguir segurar mais e gozar em sua boca.Aí que ele me chupava mais ainda,chegava a ouvir seus lábios estalar brincando com  meus  grande lábios vaginais.
Caracas que tesão eu sentia,quando Alfredo me sai de dentro das minhas coxas eu já exausta do meu gozo ele me colocar seu cacete,duro grosso e grande junto a minha boca para eu poder chupar. Foi um prazer imensurável deliciar-me com seu cacete.Parecia um porrete.Cabeça larga com as veias dilatadas.
Eu nem me dei conta do que estava fazendo, cai de boca com muita vontade nem me dei ao luxo de olhar se meu marido consentiria ou não. Se ele queria uma mulher vadia pois teria ,eu só podia  mesmo era aproveitar o momento.
Assim fiquei por vários minutos saboreando o cacete de Alfredo que por mais de uma vez tirou da minha boca para poder prolongar o gozo, foi um delírio só.
Quando Alfredo deitou na cama e me puxou para que sentasse em seu cacete eu adorei em minutos comecei a cavalgar. Assim foi que vi meu marido sentado se masturbando tendo a  visão mais que  privilegiada, vendo sua mulher em galope desenfreado com seu amigo.Alfredo por ser bem mais alto que eu e forte fazia com que aquele cacete entrasse e saísse com desenvoltura chegando a sumir todo  dentro de mim.
Assim ficamos por uns 10 minutos, ate que novamente eu gozei gostoso.
Logo depois Alfredo me colocou de quatro atravessada na cama, para que desse para meu marido ver o entre e sai do seu cacete em minha xoxota.
E sem dó nem piedade ele mandou ver,metia com força,me dava tavas na bunda,enfiava até o talo logo depois tirava deixando só cabeçorra dentro e em segundos metia novamente e acelerava com força sem dó e piedade...Fazendo com que eu gemesse pedindo mais e mais.Quando já no meu terceiro orgasmo Alfredo falou agora é minha vez,vadia cachorra goza quer cacete quer tu vai ter.E afastou um pouco deu uma lambida na minha xoxota lambuzada do meu mel,depois foi no meu anel deu uma lambida suave deixando todo lambuzado,afastou um pouco soltou um pouco mais de saliva deixando tudo meladinho.Parece que estava doido para comer meu rabo.
Eu gemia e rebolava em sua cara quando ele se afastou segurou o cacete encostou-se ao meu anel eu nem percebi sua real intenção. E forçou de vez,senti uma ardência,latente sentindo minhas pregas serem dilaceradas ate que se quietou.Pude perceber seu cacete todo dentro latejando ardendo como brasa.
E falou pronto amorzinho agora vamos acabar com a farra.
Estanquei as lagrimas, pois estava doendo ele era grande comparado o meu marido.
Ouvi-oele falar bem assim.
Marcos olha como tua puta rebola no cacete do macho dela, olha tu queria ver ela assim corno manso tem que sentir prazer junto com a mulher puta.
Ouve como ela geme com cacete enterrado ouve... E... Goza... Corno manso safado.
E sem ouvir mais na da recomecei a rebolar com as estocadas fortes de Alfredo que parecia um touro reprodutor metendo sem parar até explodir em um gozo insano.
Senti suas mãos fortes agarrarem em minha bunda como se fossem duas garras afiadas. Finalmente ele encheu a camisinha de porra.Esperou alguns segundos saiu de dentro de mim e foi ao banheiro.Eu estava naquele momento em transe meia viva morte ao longe ouvis sussurros de vozes,que pouco conseguir decifrar.Logo meu marido se aproxima me beija e com voz embargada de tesão fala.Marcela te amo mais do que nunca.
Eu também Marcos te amo.
E sem dizer mais nada ele se aproxima abre minhas pernas ver como estou com xoxota toda assada sem falar do rabo dilacerado e sem falar mais nada começou a lamber igual animalzinho lambe a cria recém nascida.
Só ouvia sua respiração ofegante.
Quando Alfredo sai do banho vendo a cena fala, assim corno bonzinho tem que fazer assim mesmo lamber limpar para mais tarde o macho novamente recomeçar.
E claro que nem precisa dizer que o restante do final de semana foi todo assim, Alfredo comia e Marcos lambia.
Para que melhor presente de aniversário de casamento do que este? Vocês não acham?

Docecomomel
30 de março de 2015
Feira de Santana Bahia Brasil
http://sensacoescomemocoes.blogspot.com.br/?zx=838258eac1d9addf
Estou no climax contos eróticos aguardo vocês

domingo, 29 de março de 2015

Transando com o filho da vizinha



Olá bom dia amigos e leitores.
Vou relatar o que me aconteceu na semana passada, vou usar nomes fictícios para evitar problemas,
Vai que meu noivo ler, por via das duvidas. Prevenir melhor remédio.
Eu mudei para uma casa nova no mês passado e logo conheci uma vizinha que tinha um filho muito bonito. O rapaz era muito lindo e o vi algumas vezes no ponto do ônibus.
Minha vizinha era uma senhora muito simpática era viúva, e conversou comigo e falou que seu filho Gustavo estava com problemas pessoais.
Tinha terminado um namoro de dois anos e estava muito carente.
Pensei que pena dois carentes solitários, no caso “Eu e Ele”, pois meu noivo estava sempre viajando por conta do trabalho. E aquele rapaz bonito que morava na casa ao lado.
Eu sou a Elza sou uma falsa magra 1,70 de altura bunda media e seios medianos, sou uma mulher simpática. Adoro conversar e logo faço amizades onde quer que eu chegue.
Eu sempre fui franca e adoro sexo.
Na sexta feira à noite eu estava na casa dessa minha vizinha Era aniversario de minha vizinha e ficamos eu ela e algumas amigas conversando e bebendo. Já umas 22hs seu filho chega, estava retornando da faculdade. Muito cordial cumprimentou a todas e deu um belo abraço em sua mãe.Ficamos conversando até que...
Aos poucos todos iam indo para suas casas.
Depois de mais uma rodada de cerveja eu falei que já ia embora. Dona Carina minha vizinha.
Falou que seu filho Gustavo iria me acompanhar até em casa. Argumentei que não precisava, mas ela insistiu tanto que aceitei. Fiquei sem graça,mas nada poderia fazer,uma boa companhia não faria mal foi o que pensei.
Assim saímos indo ate minha casa, ele abriu minha porta fez com que entrasse e depois de um tempo falou que iria pra sua casa.
Eu não sei se por efeito da bebida ou carência mesmo falei.
Vai não Gustavo fica aqui mais um pouco.
Ele assentiu com a cabeça que ficaria, mas um pouco, mas em troca de um café.
Fiz o café depois que o servi ficamos na sala sem conversar nada apenas ficamos trocando olhares. Eram palavras que não eram ditas, mas sentidas. Depois de um tempo Gustavo começou a conversar sobre vários assuntos.
Eu fiquei encantada pela nossa conversa Gustavo falou de sua ex-namorada que ainda gostava um pouco dela, mas sabia que logo isto iria passar que queria terminar logo a faculdade para se especializar e dá novo rumo a sua vida.
Eu apenas quieto sem tocar no assunto de meu noivado, até que ele pergunta. E seu noivo eu só o vi uma vez por aqui!
Bem Gustavo realmente ele só anda viajando, mas eu acho que não vai adiante nossa relação. Ter alguém e está sempre sozinha não adianta mesmo, isto me impede de conhecer novas pessoas. E Marcos meu noivo não é nenhum exemplo de fidelidade.
No mínimo em cada cidade que freqüenta a trabalho deve ter sempre uma cama para ocupar.
Gustavo respondeu não acredito que um homem com uma mulher como você precisa procurar outras.
Ouvindo estas palavras minha auto-estemas elevou-se ao máximo. Gustavo levantou dizendo que ia embora e quando foi me cumprimentar com beijo no rosto seus lábios encontraram os meus.
A adrenalina explodiu entre nós e o que era para ser um simples beijo acidental foi o estopim que desencadeou um abraço apertado, uma procura louca de seus lábios em busca dos meus. Suas mãos percorriam meu corpo me deixando com luxuria
Logo eu Gustavo apalpava meus seios apertava minha bunda, foram acontecimentos que foram nos levando ao êxtase ambos queríamos momentos de prazer. Começou a massagear seu pescoço, dando beijos molhados,quando ele tirou minha blusa e começou a mordiscar meus seios que estavam super eriçados,soltei um gemido, assim fui tirando sua camisa e senti seu tronco másculo.
Era demais para suportar, fomos para meu quarto.
Gustavo e eu caímos na cama.
Nossa roupa atirada pelo quarto Gustavo me beijava alucinadamente apalpava minha bunda, eu sentia seu membro rígido. Ele estava no comando deixando-me louca de tesão. Quando abriu minhas pernas e começou a chupar minha xoxota,e entre lambidas e chupadas me chamava de gostosa. Soltei um gemido alto e gozei... Gozei com tanta intensidade como jamais o tinha feito em toda minha vida. Gustavo exímio macho dominador me levou ao êxtase total...
Eu com a respiração ofegante esperamos Gustavo vir com tudo a princípio
Na posição de papai e mamãe ele metia com muita vigor eu gemia feito uma louca, depois invertemos a posição eu fui por cima, ia a compassos lentos e depois acelerava Gustavo gemia e me dizia os piores nomes, mas que na hora da trepada soam como acordes angelicais em meus ouvidos. Gustavo não estava agüentando mais quando seu gozo se aproximava ele ficava quieto e logo recomeçava.
A posição de quatro a maioria dos homens se sentem superiores, pois tem a visão se sente realmente o dominador. Pode elevar ao tempo Maximo que seu corpo possa suportar. E com tapas na bunda e puxando ao seu encontro Gustavo castigava-me ,parecia um animal no cio.
E eu logo novamente gozei juntinho a ele. O êxtase foi tão intenso que desabamos atracados como se estivéssemos grudados. Ficamos abraçados curtindo o momento supremo que é a união de dois seres que sonham e desejam encontrar a alma gêmea.
Depois de muita conversa Gustavo quer que eu fique com ele a principio aos poucos, mas quer ocupar o lugar permanente em minha vida e, sobretudo me aquecer nas noites frias de inverno.
Estou pensando se fico com meu noivo e ele ou dou um novo rumo a minha vida. Mas de uma coisa tenho certeza que o Gustavo é bom de cama isto eu não posso negar nunca tive tanto orgasmos como tive com ele.
E bem que foram poucos momentos, mas com a intensidade de muitos.
Mas estou decidida a não perder mais tempo em minha vida. Afinal só levamos os bons momentos.



DocecomoMel (hgata)

http://www.climaxcontoseroticos.com/ler_conto.php?id_conto=222

sexta-feira, 27 de março de 2015

No Escuro do Cinema.




Bem, quem disse que mente vazia é mãe do ócio tem toda razão.
Faz alguns dias eu tava de bobeira e resolvi fazer umas comprinhas.
Quando estava no ponto do ônibus, eis que passa um amigo de meu ex-namorado que fazia tempo que não o via.
Ofereceu-me carona e perguntou se tinha compromisso, que poderíamos assistir a um filme. Como o que o que eu tinha a fazer era sem muita importância fui ao cinema com o Carlos no Shopping.
Sempre dia de quarta feira as sessões são bem cheias.
Este dia não foi exceção.
Entramos e ficamos em local meio afastado de jovens que adoram conversar durante o filme.
O filme não era pornô, mas tinha cenas sensuais de casais.
Já quase na metade do filme eis que Carlos segura minha mão com carinho, gostei de sentir o calor másculo do Carlos. Ele alisava minha mão entre as suas.
Uma caricia simples sem intimidade.
Mas, em dado momento Carlos puxa lentamente minha mão e pousa em seu membro rígido de excitação.
Fiquei estática devido à surpresa, mas por poucos segundos, Mas, continuei as caricias suave por cima da calça e sentia a rigidez daquele pau.
Há o calor subindo pelo meu corpo foi instantâneo.
Carlos me sussurrou que sempre teve uma queda por mim, mas mantinha-se afastado, pois era amigo do meu ex-namorado e "namorada e amigos" não podem se misturar.
Fiquei surpresa, pois nunca tinha observado esta paquera informal.
Mas já passou e agora somos livres, os Ex continuam em outras etapas da vida.
E as caricias continuavam e excitação tomando conta de nossos corpos.
De repente Carlos tira seu pau para fora da calça e com o reflexo da luz na penumbra avisto aquele monumento enorme com cabeça latejante de excitação.
Ah como fiquei excitada. E logo estava eu acariciando com delicadeza, circundando entre minhas mãos aquele fenômeno um cacete enorme e volumoso.
Segurava com uma mão acariciava com a outra disfarçadamente afinal estávamos em local publico, coisa que tornava mais excitantes as caricias.
Eis que Carlos desce sua mão displicentemente entre as minhas coxas com uma caricia suave, explorava minha vagina com destreza. Segurava entre os dedos meu clitóris me deixando cada vez mais úmida de tesão.
Foi à gota que faltava.
Foi à centelha do desejo e num ímpeto levantamos e saímos na metade do filme.
Montamos na moto e fomos direto ao Motel mais próximo.
Os dois desejosos.
Ainda no estacionamento começamos a nos beijar e Carlos com total ímpeto começou a desnudar-me.
Sugava meus seios tal qual um bebê faminto me fazia contorcer-se de excitação.
Eu segurava seu sexo acariciando-o com destreza. Carlos desceu sua boca sequiosa e faminta me chupou com uma suavidade que me deixou ensandecida de prazer logo chegando ao clímax.
Com a volúpia a mil ambos sequiosos e excitados Carlos me possuiu ali mesmo no estacionamento.
Uma façanha que jamais havia testado ser comida em cima de uma moto. Um vai e vem gostoso de dois jovens com sede de sexo e prazer.
Carlos com destreza me fazia carinhos com total desenvoltura, Parecíamos que estávamos na cama mais confortável de tanto desejo e excitação a experiência foi fenomenal e muito prazerosa.
Entramos e continuamos nossa sessão de amor sexo e prazer.
Que coisa eu nunca ter notado este desejo do Carlos, até achava que era antipático comigo.
Mas como me confessou ele nutria um desejo enorme por mim e usava a distancia como auto defesa. Mas o tempo se encarregou de nos unir e sempre nos curtimos, muito namoramos e saímos bastante sempre um lugar diferente paradisíaco para curtir nossas fantasias sexuais.



http://sensacoescomemocoes.blogspot.com.br/2010/07/no-escuro-do-cinema.html?zx=1e6921971e266aca

Mulher tem que ser igual puta.



Eu adoro mulher vagabunda e provocante que gosta de fuder sem pudor. Que gosta que seu macho faça de seu corpo morada do prazer.

Sempre em dias de sexta feira quando saio do trabalho vou a um barzinho que fica próximo a um supermercado de uma grande rede. Quando começa o final de semana, moças e rapazes saem para se divertir. Vejo muitos deles conversando alguns até se agarrando a procura de alguma aventura.

Eu sou casado, mas adoro aventuras. Gosto de foder gostoso, de dá tapa na bunda, fazer sentar no meu cacete rebolando sem parar. Só não sou de encarar com machos. Mas se for mulher a trepação é segura. Eu até Viagra tomo para poder proporcionar melhores momentos na foda.

Outro dia encontrei uma mulata. Estava com uma colega em uma mesa próxima, de longe ofereci uma bebida. Elas aceitaram convidei a vir até a minha mesa. Uma delas veio e falou que sua amiga estava esperando o namorado. Que assim que o mesmo chegasse que viria me fazer companhia.

Concordei sorridente e segurando em sua mão falei que se ela topasse algumas horas de sexo quente e saudável estaria livre para ela quando quisesse. Seu nome era Larissa, que me sorriu e falou que logo voltava.

Já fiquei entusiasmado, pois estava louco por uma mulher bem safada que topasse chupar gostoso meu cacete, que bebesse meu leite quente, que me fizesse gozar rasgando sua xoxota e o cu sem pudor. Que rebolasse no meu cacete gemendo muito e logo chegasse ao prazer do orgasmo, perfeito e sem frescura.
Uma meteção de cacete sem dó nem piedade.

Deus ouviu minhas preces, quando vi um homem chegar até a mesa delas deduzi que fosse o tal namorado. Na verdade era um macho que logo carregou a amiga de Larissa dali.

Em instantes ela veio até a mesa e sentou. Ofereci uma bebida, ela aceitou e com sorriso safado respondeu que iria tomar só uma taça de vinho, que queria estar sóbria, para aproveitar melhor o sexo gostoso que iríamos fazer.

Tomamos nossa bebida, paguei a conta e fomos até meu carro. Saímos em direção a um motel. Logo abri a braguilha deixando o cacete de fora. Ela disse:

- Uau!! Apressadinho hein?

- Claro, querida não tenho tempo a perder, sou casado e tenho que chegar a casa antes da madrugada. Ela sorriu e falou:

- Delícia! Adoro homens casados são experientes e bondosos.

- Claro amor! Eu respondi:

- Sou muito bondoso, não se preocupe que vou te dar cacete até você não querer mais.

Ela riu e falou:

- Senso de humor você tem! Vamos ver se tem tesão de sobra!

E se abaixou começando a pagar um boquete. Já que estava em um lugar deserto e de pouco trânsito, aproveitei para alisar sua cabeça, forçando que me chupasse mais profundo.

Logo chegamos ao motel entramos. Larissa foi até o frigobar pegou um refrigerante e ficou sentada na beirada da cama. Fechei a porta tirei calça e camisa, e fui para seu lado, ou seja, fiquei parado a sua frente. Comecei alisando seus cabelos e fui descendo até seus seios. Abaixei minha calça, tirei minha camisa e segurando em rosto e falei:

- Toma puta! Se for cacete que tu queres, segura e mama!

Larissa deu uma risadinha safada e falou:

- Amoreco não só vou mamar como comer, chupar, lamber e fazer tudo que tenho direito. Adoro um homem de boa pegada.

Larissa abaixou minha cueca e vendo meu cacete duraço foi pegando na base e com maior tesão abocanhou meu cacete. Passou a chupar com sofreguidão e a lambuzar ele todo com sua saliva. Chupava envolvendo com a boca, circulava com a língua de um lado a outro, eu ia às alturas, sentindo sensações maravilhosas.

Depois eu segurei em sua cabeça e comecei a socar fudia mesmo sua boca. Larissa delirava. Teve um momento que até engasgou, então eu parei dando um tempo para ela.

Foi quando terminei de tirar suas roupas e caí por cima dela, mamando seus seios durinhos, com cacete entre suas coxas, sentia sua xoxota lambuzar meu cacete. Mas eu queria provocar fazer implorar para ser fudida.

Meu cacete já estava mais que latejando de tanto tesão, já escorria até umas gotas de esperma pela cabeça. Peguei meu celular e tirei fotos dela, com as coxas arreganhadas e seus lábios vaginais lambuzados de tesão.

Ela estava meladinha pronta para ser comida com vontade. Com boa pegada, como ela mesma disse que gostava. Pois bem, segurei em seus quadris, pegando-a de surpresa, coloquei-a de quatro e nem dei tempo dela se apoiar na cama.

Comecei a lubrificar seu anel com a língua, lhe dei alguns tapinhas na bunda e me afastei um pouco pra ver como era gostosa a potranca. Coloquei uma camisinha e ela rebolando esperando meu cacete, me aproximei e enfiei em sua xoxota. Por alguns momentos senti todo fogo de seu tesão.

A mulher gemia e rebolava que me deixava doido quase não segurava meu gozo, mas meu maior tesão era ver seu cuzinho rosado piscando. Eu alisava, colocava o polegar e a safadinha ronronava.

Depois de algum tempo, bobeando em sua xoxota apertada, sempre alisando seu anel, eu não agüentei mais, tirei da xoxota encostei-me a seu rabo gostoso. Lambuzei de um lado para outro, e comecei a forçar.

Empurrava e parava de início ela relutou é claro, mas depois que a cabeça passou, ela relaxou mais. Foi quando eu passei a bombear naquele rabo gostoso, apertado latejando, que comprimia meu cacete, apertando, latejando e envolvendo todo meu cacete.

Fodi por mais de quinze minutos socando sem parar naquele rabo apertado. Ela começou a gemer e o gemido dela me deixava mais excitado. Passei a meter com mais rapidez e ela rebolava gostoso. Resolvi tirar o cacete de dentro para não gozar logo, pois estava louco de tesão. Ela reclamou que queria leitinho.

Dei um tempo para me recompor só fazendo carinhos nela, então ela me pediu para gozar dentro de sua boquinha.

Fiz com que ela se ajoelhasse e comecei a me masturbar. Ela ajoelhada com carinha de puta safada. Foi só por alguns segundos e eu logo comecei a gozar. Coloquei meu cacete na frente de seu rosto e ofertei jatos e mais jatos de leite em seu rosto, boca que chegou a escorrer pelos seios.

Se alguém acredita que ela não tomou enganou-se, pois sua boca ficou cheia que chegou a escorrer pelos cantos dos lábios. Eu não já transei com uma infinidade de mulheres e bem sei que cada qual tem sua particularidade, mas alguma tem verdadeiro tesão por sexo anal.

Ao sentir das pregas se abrindo para receber uma cacete de bom volume e rigidez é tudo de bom. O prazer que elas sentem é indescritível. Por este motivo eu nunca deixo de fazer anal, pois bem sei que adoram e eu não sou de negar prazer a ninguém.

Mas voltando ao ato, logo Larissa se recompôs e vendo ainda meu cacete rígido pediu que a deixasse cavalgar. Como negar? Deitei na beirada da cama e logo a putinha safada veio com jeitinho. Cavalgou como uma eximia amazonas cavalga seu garanhão. Senti seu gozo molhar cabeça do meu cacete.

- Caracas! Na pressa nem camisinha botei agora o que está dentro não se pode tirar e soquei por alguns minutos e gozei novamente. Agora dentro da xoxota.

Assim ficamos exaustos com respiração ofegante, fomos tomar um banho nos vestimos e fui levá-la em sua casa, Só quando parei o carro na porta de sua casa que a safada disse:

- ainda bem que meu marido não chegou de viagem ainda!

Cheguei a sentir um nó na garganta a safada era casada e só veio dizer isto agora. Agora eu nada posso fazer, não sou ciumento e anotei seu whatsapp. Sempre entramos em contato e já saímos outras vezes. Se é foda que querem eu adoro fuder.



DocecomoMel
Feira de Santana 17 de março de 2015
Bahia Brasil


Traí antes do meu casamento:





Traí meu noivo antes do nosso casamento, com um bem dotado e fiz dele meu amante permanente
Olá eu sou Diana tenho 28 anos sou noiva do Carlos estamos pretendendo nos casar agora no final do ano. Sempre transamos Carlos é um homem maravilhoso carinhoso gentil, me proporciona muito prazer.

Foi meu único homem até agora, ou seja, até o momento que comecei a relatar este fato que ocorreu em minha vida.

Só que como a maioria das mulheres sempre fala de cacetes enormes e grossos, eu desejava ainda experimentar um assim, um bem dotado porque meu noivo tem o cacete pequeno, mas sabe transar que é uma beleza. Me deixa saciada, pois me provoca altos orgasmos, mas como as minhas colegas de trabalho na repartição falam tanto de negros e bem dotados eu tenho este fetiche de ainda poder trepar com um bem dotado.

Não sei como fazer, para saciar esta ânsia que sinto, só basta eu está em algum lugar público e ver um homem bonito tenho intenso desejo, chego a ficar excitada imaginando em detalhes como é o desempenho de algum homem que sinto atração. Depois de ficarem alguns dias pensando, eu decidir que teria que realizar tal proeza e logo, pois faltavam poucos meses para o meu casamento.

O que a mulher decide em fazer não tem cristão que tire da cabeça. Então se for para fazer tem que ser antes do casamento afinal a traição seria mais suave.

Eu confesso que gosto muito do meu noivo, toda vez que a gente se encontra a gente transa muito gostoso, ele tem o cacete pequeno, mas é muito fogoso me deixa saciada, mas vocês bem sabem como são as conversas de colegas.

Só mesmo para despertar o desejo de traí-lo conhecendo outros homens.

-Ai na semana passada eu fui até a casa de minha irmã que mora em um bairro distante do meu, chegando lá encontrei seu cunhado, que é meu amigo de muito tempo.

Ate já namoramos certa feita em uma festa antes de ficar noiva.

Foi só mesmo uma boa pegação, depois acabou.

Lucas é seu nome ficamos conversando eu Lucas minha irmã e seu marido.

Percebi um clima diferente, Lucas me perguntou se eu tinha certeza que queria casar mesmo?

-Respondi claro que sim.

Quando ele falou se eu já tinha realizado todas as minhas fantasias?

Eu fiquei sem responder, foi aí que ele disse se não realizou procure realizar porque depois de casada as coisas complicam.

E todos começaram a rir. Minha irmã que sabia de minha fantasia falou zoando comigo.

Pois é gente minha irmã tem uma fantasia sim, só quer provar algo mais intenso, maior... E com gestos de mãos deu a entender.

Eu envergonhada, pois ali tinha dois homens. Falei Esquece estas coisas mana?

Esquecer?

Impossível você vai sempre desejar ser possuída por um bem dotado querida e isto te deixará infeliz.

Bem eu já vou, ia saindo desejei uma boa noite para todos.

Lucas apressou-se em dizer que me levaria em casa.

-Não precisa Lucas é longe vou de taxis mesmo.

-De forma alguma vou levar sim ele disse com voz firme, ainda mais quem não gostaria de ter sua companhia por mais algum tempo?

Assim aceitei a carona.

Acontece que fomos conversando e rolou um clima que foi provocado devido à conversa na casa de minha irmã.

Lucas dirigia e vez ou outra me olhava quando teve um momento ele disse Diana se quer realizar seu fetiche ainda há tempo tenho todas as qualidades que você anseia.

Quer ir a um motel comigo?

Ele me convidou assim sem mais nem menos, aproveite antes de casar!

Eu como já estava super excitada devido às conversas respondi sem pensar:

Vamos Lucas meu noivo está viajando se assim você quer eu também quero.

Lucas mudou o rumo do caminho e no primeiro motel que encontrou entrou.

Entrei eu estava nervosa ele todo excitado mostrava o cacete atravessado dentro da calça, parecia um porrete.

Assim que entramos no quarto me abraçou e beijou meu rosto todo olhos, orelha acariciava meu corpo por completo sem pressa de tirar a roupa.

Até que baixou uma das alças de minha blusa começou acariciar com os lábios dando beijos molhados, logo estava sem blusa e sem soutien Lucas mamava meus seios, sentia arrepios parecia uma virgenzinha sonsa.

Quando ele tirou completamente minha roupa eu ajudei a tirar a sua camisa e calça, sem coragem de tirar a cueca, mas ansiando ver seu cacete que vibrava de excitação...

Lucas me deitou na cama ele mesmo tirou a cueca e quando eu vi o seu cacete enorme com veias salientes, arrepie-me toda, ele veio ate minha xoxota abriu minhas pernas deu uma chupada bem voraz, senti meu grelo tremular e estalar entre seus lábios, quase eu gozo.

Logo ele ajoelhou-se entre minhas pernas e com uma desenvoltura sensacional arqueou os quadris e meteu seu cacete dentro da minha xoxota.

Entrou macio, ambos excitados afoitos pelo gozo.

Quando ele sentiu que só estavam de fora os culhões, começou uma sessão de estocadas fortes que me faziam gemer, alto, não de dor, mas de prazer.

Fiquei por mais de dez minutos recebendo seu cacete na xoxota, fizemos muitas posições como, ladinho, de quatro cavalguei como uma verdadeira amazonas.

Até explodi em um gozo insano.

Lucas me proporcionava inúmeros orgasmos como eu nunca senti na minha vida com meu noivo.

Eu me sentia uma puta safada sendo comida por um macho pegador.

Quando Lucas me colocou de quatro, deu uma lambida no meu cu fui ao delírio.

Jamais senti tanto prazer, ele dava tapas acariciava minha bunda e sem eu esperar afastou-se um pouco os quadris segurou no cacete e forçou.

Senti minhas pregas estalarem, gemi alto, ele falava relaxa amor que logo vai passar e assim eu fiz, mas digo sinceramente me senti arrombada.

Tinha medo do estrago, mas ele soube me elevar a um patamar de prazer que jamais eu senti em toda minha vida. Lucas com estocadas fortes metia e tirava sem parar, eu sentia como se seu cacete estivesse dilacerando minhas pregas.

Logo eu comecei a sentir jatos de esperma no meu rabo.

Gozei junto com ele, um gozo diferente não sei se foi na xoxota ou no rabo sei que foi a primeira e não a única vez que eu saí com Lucas.

E desde então já casei há dois anos e nunca deixei de sair com Lucas meu amante fogoso e bem dotado. Para que melhor do que isto.

Meu marido é uma pessoa maravilhosa, mas no quesito de realizar fantasias é uma negação então eu como sou bem safada as realizo todas com meu amante Lucas que é um homem maravilhoso.

Docecomomel(hgata)



20/03/2015:

quinta-feira, 26 de março de 2015

Negro e bem dotado...Alguém resiste?





Olá.
Eu sou a Marcela tenho 36 anos sou morena clara peso 62 kg e minha altura é 1,69. Eu estudo pedagogia e trabalho em um escritório meio turno.
Sou uma pessoa de bem com a vida.
Amores... São como ondas do mar. Vem e voltam... Moro em um pequeno condomínio composto por 10 casas.Um lugar aconchegante e simples,mas muito bem cuidado.Bom,eu tenho um vizinho que mora sozinho ele é  um negão,alto e forte meio bombeado e muito gostoso.Eu já o vi varias vezes quando vou saindo de casa e ele chega de seu Cooper matinal.Seu corpo negro suado do exercício físico brilha ao sol.Um tesão com suas pernas musculosas. Ele é policial do batalhão de choque,poucos sabem disto,mas minha faxineira e amiga da empregada dele  e ouvi as duas conversando...Bem assim.
-E não é mulher,já viu que coisa um macho daquele se desperdiçando sozinho... Ele não tem mulher não?
-Olha mulher certa não, mas sei que trás mulheres para casa em finais de semana, pois quando chego é bagunça de todo quanto é jeito.
-Ai... Minha faxineira diz bem assim e tu querias que a mulher arrumasse é?
 -Com um homem daqueles eu não consigo nem respirar imagine arrumar nada. (risos) .Ouvindo as duas proseando até eu sorri.
Um dia estava voltando da escola e como era um dia chuvoso não havia ninguém na rua. Estava andando distraída quando ouvi alguém chamar, vizinha ou vizinha... Quando olhei era o meu vizinho o nome dele é Paulo:
-Olá vizinho tudo bem? Interpelei...
-Sim vizinha hoje estive em sua casa e sua faxineira disse-me que só voltaria à noite, então resolvi prestar atenção a sua chegada.
-Entendo alguma novidade?
-Não eu apenas vou fazer aniversario no próximo sábado e decidir chamar meus vizinhos para uma pequena reunião.
-Hum desde já meus parabéns. Ele respondeu obrigado,mas poderia ser com um beijo de felicitação?
-Claro desculpe-me e fui a sua direção dar-lhe um beijo de cumprimento na face, mas quando eu me aproximei ele apenas enlaçou uma de suas mãos em minha cintura e beijou-me na boca. Fiquei petrificada com a ousadia,não abri os lábios e o beijo ficou em um selo de lábios.
-Ele sorriu e soltou.
-E já foi saindo dizendo te espero ansiosamente no sábado.
-Aff que petulante quem ele pensa que é? Foram meus pensamentos, mas eu bem sabia que ele pensava que era um cara gostoso cheio de energia. E tinha toda razão pois esbanjava virilidade.
Assim a semana transcorreu normalmente, na sexta feira outra vizinha e amiga me perguntou se eu iria pra o aniversario do Deus Negro?
-Deus Negro! Sim Marcela não se faça de inocente, não me diga que você nunca pensou naquele homem como macho? Se não pensou é a única do condomínio que nunca notou a força que emana daquele corpo. Ai ai ainda bem que Mauricio está em casa senão me deixaria ser seduzida por ele para uma comemoração mais intima (risos) pós-festa. (risos)
-Droga ainda mais esta desde o dia que Paulo me fez o convite e deu-me um leve beijo que não sai dos meus pensamentos, ainda mais que estou solteira já há (4) meses.
Problemas a vista foi que pensei... Mas no sábado logo cedo fui ao salão,fiz minha unhas dei uma geral em meu corpo  em termos de depilação. As 20hs comecei a me arrumar, vesti um vestido preto tomara que caia e um sapato preto. Me esmerei no perfume e a maquiagem foi leve nada que chamasse muito á atenção.
Quando cheguei à casa do meu vizinho por lá já havia alguns amigos do condomínio mesmo, entre uma conversa e outra eu observava o Paulo que estava muito elegante e bonito. Notei também que não tinha nenhuma mulher de companhia com ele.Depois dos cumprimentos formais eu fiquei de conversa com a minha vizinha Vera e seu marido Mauricio.
E ela como sempre me alfinetava e ai Marcela, veja como está bonito nosso Deus negro e sorria.
-Ah Vera para de provocar!
-Ah deixa de ser boba ele não tira os olhos de você menina!
-Hum ...Nada respondi ,mas eu bem sabia a atração que estava sentindo pelo Paulo.
Já perto de meia noite as pessoas iam saindo e eu decidir ir embora e quando fui me despedi do Paulo ele pediu que ficasse mais um pouco que me levaria em casa. Sem jeito de negar-me fiquei,mas sentia que algo estaria por vir.
Logo todos foram saindo para suas casas. Eu já me dirigia até a porta quando Paulo segurou-me pelos ombros e com uma das mãos apalpou minha bunda.
Fiquei com a respiração já ofegante, ele sempre sorrindo foi beijando meu pescoço. Apertava-me de encontro a seu corpo másculo e forte, me deixando vulnerável e com muito tesão. Fechou a porta e fomos até o meio da sala onde havia um tapete,discretamente abaixou as alças do meu vestido que caiu e Paulo foi beijando meu corpo,me elevando ao clímax.Meus pensamento ficaram entregue ao torpor do prazer.
Entreguei-me de corpo e alma e fui tirando sua calça acariciei seu cacete sobre a cueca sentindo toda rigidez de seu membro. Salivei e beijei sua virilha. E abaixei a cueca de onde me saiu um belo membro negro de aproximadamente 21 cm com a cabeça vermelha,a impressão de uma tocha acesa,já ia abocanha-lo quando Paulo com sorriso falou.Calma ainda não é a hora apressadinha. Quero brincar com você primeiro minha gostosa. Ansiei este momento.
Paulo e eu deitamos no tapete ele beijava-me, mordia meu pescoço, minha barriga, minha xoxota por cima da calcinha, mas sem tirar, afastava de um lado e outro e metia sua língua tocando meu grêlo deixando-me cheia de excitação.
 Depois ele se deitou e pediu que eu me levantasse e sentasse em seu rosto.
-Isto não era um pedido, era uma ordem.
-Mas eu ainda sentia um pouco de vergonha, relutei um pouco até que Paulo segurou em minha cintura e me conduziu ate seu corpo;
_ Tira calcinha minha safada gostosa. Fiquei mais excitada ainda vendo seu olhar de suplica. Resolvi entrar no clima e entreguei-me de vez na sacanagem.
Paulo acariciava meus seios, ia com uma mão até minha bunda e apertava,dava tapas e acabei me virando e lentamente fui deitando sobre seu corpo. Minha boca tocava sua virilha.Eu lambi e acariciei seu cacete deixando úmido de minha saliva,até abocanhar de vez e mamar como a uma bezerrinha . Mordia meu grêlo, lambia e sugava todo meu mel,mas eu estava muito excitada, adorando aqueles momentos.
 A estas alturas já estava todo molhado seu rosto todo lambuzado de meus fluidos e eu alucinada pra ser comida e... Bem comida.
Ele ficou em pé e eu de joelhos e Paulo junto a mim chamou-me segurando o cacete apontando para minha boca.
-Vem me chupar, vem putinha...Vem tomar leitinho.
Nossa o mastro estava tão  duro que chegava fazer um arco apontando para o umbigo. Cheguei bem juntinho, dei uma lambida por toda cabeça, e  abocanhei bem firme.
Segurando na base virando minha cabeça de um lado a outro.
Paulo safado segurava-me pelos cabelos e batia com cacete em meu rosto
 Depois de um bom tempo engolindo ele inteiro, descia e chupava seu saco. Ouvia seus gemidos,que pareciam urros.
-Isso vagaba, chupa gostoso vai, ah delícia puta safada boqueteira ,papai vai da leitinho bebezinho quer?
Segurava em meus cabelos, metendo em minha boca como se ela fosse uma xoxota, e eu não conseguia nem parar depois de um tempo senti seu cacete se avolumar e jatadas de leite exporrar garganta adentro.
 Foram momentos únicos Paulo gemia de prazer...Eu é claro também sorvi de seu leite sem deixar perder uma gota se quer.Nos beijamos e ele sentiu ainda o sabor de seu esperma em minha boca.Fiquei no tapete de quatro e Paulo coloca uma camisinha e nossos desejos unidos em êxtase em segundos nossos corpos acoplados em um frenesi galope e extenuados gozamos juntos.Elevando-nos ao prazer máximo de um intenso e surreal orgasmos simultâneos.
Digo surreal pela intensidade do orgasmo.Foi a minha primeira vez com Paulo um negro lindo,bem dotado safado que sabe chegar e tomar conta da situação.
Bem depois eu conto como foi o nosso primeiro anal...Porque foi difícil de aguentar seu mastro de 21 cm e com a intensidade que Paulo gosta é preciso saber e querer ter muito prazer.



Docecomomel(hgata)
Vejam meus blogs: Imagem do google
http://sensacoescomemocoes.blogspot.com.br/
Vejam este e outros contos meus em:
www.climaxcontoseróticos.com/

Traição, mas sem pretensão.









Eu nunca havia traído meu marido antes, até por que ele é muito gostoso, um verdadeiro garanhão, mas depois que comecei a encontrar camisinhas em seus pertences fiquei magoada e revoltada.
Mas ele estava me traindo com putinhas de rua e bem mais jovens.
Mulher nenhuma em seu juízo perfeito aceita uma coisa dessas.
Algumas pessoas falam que quando o homem trai é por que algo não está bem em casa, no caso eu sempre tive este defeito.
Nossa relação sexual era cheio de êxtase, mas tinha um, porém  apesar de eu ter culpa, isto já veio de minha criação interiorana e preconceituosa, já fiz análise, mas não resolvei na hora agá trava e sinto ânsia de vômitos.
 Eu nunca aceitei, e nem concordei com penetração anal, pois sempre achei que tal ato era somente para putas. (preconceito).
Eu jamais quis engolir sêmen.
- Chupar, sim, sempre  fiz, mas receber o sêmen de meu negão na boca ou engolir.
Isto jamais.
Acredito que este conceito me trouxe problemas, mas não consigo mesmo.
Tenho vômitos só de pensar.
No final do ano eu fui fazer uma viagem com um grupo de amigos (as), meu marido não quis ir.
Nosso passeio era misto, íamos conhecer o litoral do Sul da Bahia.
Fomos num ônibus contratado através da empresa de turismo.
Nossa viagem transcorria normalmente até que a pessoa que estava do meu lado trocou de lugar com um rapaz.
A senhora queria ir conversando com uma amiga.
Logo comecei a observar aquele rapaz.
Era maravilhoso: alto, moreno-claro, olhos pretos, coxas grossas, musculoso. E com sorriso de despedaçar corações de ninfetas, imaginem de coroas, desiludidas por traições.
Era um gato!
Um tesão!
Fiquei feliz observando aquele rapaz maravilhoso, com dotes masculinos sentar-se ao meu lado.
Logo comecei a imaginar coisas e fiquei excitada.
Pensei!
Como seria gostoso transar com um jovem?
Depois de algum tempo começamos a conversar.
Foi quando soube que tinha 19 aninhos.
Um anjo.
Aquilo me deixou excitada.
Começamos a conversar sobre vários assuntos e sobre sexo também.
Ele me indagou meu estado civil e eu como uma doidinha disse separada.
Pronto sinalizei avanço coisa que demorou pouco.
E ele me elogiou dizendo que eu era muito bonita e sexy. Como eu estava de saia ele começou a acariciar minhas pernas, logo explodiu um beijo bem gostoso.
Eram beijos de língua.
Como era gostoso beijar a boquinha daquele rapaz sensual e atrevido.
Era demais e com uma pegada forte e ousada.
Minha carência depois que havia brigado com meu marido, me deixou enlouquecida de excitação.
Como não havia ninguém próximo entreguei-me a devassidão e desejos ocultos do meu ser, eu levantei a camisa e fiquei acariciando aquele corpo másculo.
Como se fosse uma moça livre, perdi completamente o pudor e comecei a beijar aquele corpo, e desci mais e beijei por cima do short o volume duríssimo.
Apalpei.
Não contive a surpresa de ver aquele mastro duro e cai de boca.
Não gemendo alto para escandalizar a todos.
Mas com descrição fiz um boquete gostoso.
Nossa!
Que delicia sentir todo seu mastro com envergadura e rigidez adentrar minha garganta.
Raul estocava discretamente seu cacete em minha boca, introduzindo seus dedos entre minhas roupas. Acariciando minha xoxota ávida de desejo.
Eu sentia minha xaninha encharcada, gozei muito e rebolando entre seus dedos, Ele não suportou e gozou também, senti golfadas de seu sêmen em minha boca e com uma gula fora do normal sorvi de seu precioso leite.
Não desperdicei não cuspi.
Literalmente comecei a libertar-me de preconceitos de outrora e entreguei-me a lasciva e desejo de meu corpo.
Sem regurgitar sentindo o maior prazer de provar do meu amante que achei em uma viagem de férias.
Chegando a nosso destino e com descrição eu e Raul fomos à busca de uma pousada e consumamos o maior e melhor relação amorosa de minha vida.
Coisa que jamais tinha feito com meu marido, liberei e fizemos anal e adorei senti em toda a minha plenitude os desejos reprimidos aflorar.
Eu como uma esposa fiel e casta me soltei e comportei-me como uma verdadeira mundana.
Raul muito adorável me convenceu com carinho a deixar-me levar por meus desejos.
E olha que os desejos reprimidos eram muitos, mas me libertei e transei muito,
Agora deixarei para pensar que destino darei a minha vida depois do retorno do passeio, ainda tenho uma noite com Raul e me entregarei à lasciva do meu corpo.
Posições faremos todas possíveis.
Difícil depois de oito anos de casada sentir o verdadeiro prazer carnal em uma traição em um final de semana com um jovem qualquer conhecido a esmo, mas muito gostoso e gentil.
Será que fiquei lesada ou acordei para meus desejos reprimidos?
Aceito opinião ainda tenho tempo de acordar para a vida.
Ajude-me.
Please Babys.

DocecomoMel (hgata)

Imagem do Google
"Não confundam o autor com sua obra"


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...