sexta-feira, 22 de maio de 2015

Transei com a mulher do meu tio.



Olá minha aventura começou numa tarde de verão o dia estava muito quente e abafado. Meu nome é Marcos.
Eu estudava e morava com meus tios. Na verdade meu tio Pedro irmão de minha mãe estava no segundo casamento.
Estava na casa dele por algum tempo até conseguir um trabalho, pois estava apenas estudando e a grana que meus pais me davam era curta, não dava para pagar aluguel. Meus pais moravam no interior
Naquela sexta feira não tive todas as aulas voltei mais cedo.
Chegando a casa encontro meu tio e sua esposa tomando cerveja.
Meu tio é um pouco mais velho que sua esposa o que pode ser percebido de imediato, pois ela era muita gata e vestia-se como uma ninfetinha, com calça de legging marcando suas calcinhas fio dental, sem deixar de mostrar sua xoxota inchadinha que parecia um capô de fusca.
Eu olhava e ficava cheio de tesão afinal era jovem ainda tenho 19 anos com 1,80 pesando 82 kg, com braços e pernas bem desenvolvidas devido academia que faço desde os meus 16 anos.
Sem deixar de citar meu dote de 21 cm que sempre soube deixar as moças da minha cidade louquinhas por mim.
Fazia 03 semanas que eu não ia para casa, estes dia todos sem dá uma trepada estava me deixando na saia justa todos os dias quando ia tomar banho batia uma punheta bem gostosa e quem povoava minha cabeça era a mulher do meu tio.
A punheta era mais gostosa ainda quando eu encontrava alguma calcinha dela esquecida no Box do banheiro esfregava na cabeça do cacete que chegava a delirar chamando-a pelo seu nome.
 O tesão era demais.
Teve um dia que peguei a calcinha dela sentia a umidade dos fundilhos que fiquei cheirando enquanto punhetava, êta cheiro de xoxota delicioso.
Parecia que tinha mel.
Assim os dias se passavam.
Meu tio adora beber e ficava ouvindo música alta, naquele dia ele que voltei mais cedo meu tio estava em casa bebendo assim que me viu me ofereceu cerveja eu não aceitei, pois nunca gostei de beber.
Mas fiquei com ele na cozinha conversando e a cada momento sua esposa, ou seja, minha tia por consideração sempre trazia mais cerveja e petiscos.
Já se percebia que meu tio estava um pouco alto devido ao grande consumo da bebida.
Depois de muita cerveja meu tio almoçou e foi dormi.
Eu fiquei na sala assistindo TV, quando ouvi o celular tocar era o aparelho da minha tia (Flávia) fictício. Ela veio apressada atender.
Sem querer a ouvi dizendo para a pessoa do outro lado da linha, mesmo assim!
“Pois é amiga acredita que o marido encheu a cara de novo e foi dormi, já não aguento mais de tanto ficar na seca”.
Que droga viu casar com homem mais velho dá nisso!
E ouvi risos e umas frases solta, pois é amiga acho que vou ter que contratar um já não suporto mais essa secura de sexo!
Está bom depois conversamos e finalmente ela desligou celular.
-Quando veio até a sala ficou um pouco acanhada acho que havia esquecido que eu estava ali na sala.
Ela veio até o sofá sentou ficando de frente para onde eu estava.
E claro que eu a olhava e levei até um susto quando ela me perguntou.
Bem assim.
Marcos me diga uma coisa.
O que você acha de ganhar um dinheiro extra?
Seria ótimo... Estou precisando mesmo de comprar uma camisa nova.
Mais não posso atrapalhar meus estudos agora.
Foi quando ela disse que não seria trabalho e não iria atrapalhar em nada meus estudos. Que seria algo bem prazeroso.
Claro que eu percebia seu nervosismo, mas precisava que ela dissesse do que se tratava, eu não poderia dá um passo à frente sem ter certeza do que ela queria realmente.
 Flavia a minha tia por consideração era uma coroa bem gostosa.
 Com tudo em cima tinha um seios bem durinhos no quais eu pude provar um pouco mais tarde no meu quarto.
Ficamos quietos por alguns minutos sem nada dizer, o silencio era ate que Flávia veio sentar a meu lado e eu pude perceber que estava com a respiração ofegante.
Logo sua perna estava encostada à minha assim quase roçando mesmo.
Fiquei desconcertado, pois a cada momento meus pensamentos me causavam excitação.
Caramba sou jovem, fiquei logo de pau duro, sentindo calor de sua perna roçando na minha. Ela safada e bem mais experiente do que eu provocava mesmo.
Depois de olhar bem em meus olhos Flávia que sorria começou um papo muito intimo.
Pois bem minha “tia” Flavia me perguntou se eu era virgem.
 Eu menti dizendo que era.
Foi assim que minha tia ficou doida de excitação.
 Jura Marcos que você nunca meteu em uma xoxota?
“Não” “tia” as meninas não me dão e eu não quero recorrer a prostitutas. Pois bem deste momento em diante a conversa foi só putaria.Ela xavecava
 Na maior cara de pau.
Foi quando ela disse que meu tio não estava sempre presente deixando-a há dias e até semanas sem sexo: Poxa a coroa estava necessitada.
Ela confessou que andava muito carente que adorava sexo oral e anal e meu tio estava mais ligado em trabalhar deixando-a sozinha e carente.
E pensou que estes dia ia mudar algo, mas está há uma semana ele a deixava em brancas nuvens.
 Ai fudeu tudo a coroa estava alucinada de tesão.
 A cada momento meu cacete ia ficando mais duro, eu tomei coragem e perguntei a minha tia se ela queria transar comigo.
Também entrei no jogo dela e convidei mesmo para transar.
Ela fez um sinal com um dedo nos lábios pedindo silencio e me levou ate o final do corredor onde era meu quarto.
 Entramos e. Fechamos a porta e Flavia já começou apalpando meu cacete por sobre a roupa exclamando.
Nossa que cacete duro e grosso!
Estou louquinha para sentir este cacete gostoso me rasgando.
-Eu te dou ele todinho putinha safada onde você quiser.
Aí fui à loucura tirei sua roupa e a minha em minutos.
Ela vendo meu cacete duro envergado de tesão não demorou e começou a chupar, lambia a cabeça enfiava ate o talo babava meus culhões.
Uma boqueteira de primeira, e falava ai delicia Marcos vou te chupar ate você dá leitinho na boquinha de sua tia*.
Eu mexia e socava meu cacete em sua boca.
Caracas que delicia ser chupado com tanta desenvoltura, eu segurava em sua cabeça e atochava cacete. Ela gulosa tossia, entalava engasgava, mas não deixava de me chupar. Estava uma loucura.
Aí a tiazinha disse que queria que a fudesse com força e vigor.
Fiz a safadinha ficar na cama de solteiro, e eu em pé coloquei uma camisinha deu uma salivada na xoxota, a puta gemeu gostoso quando sentiu minha língua lambendo seu grelo.
Mas o tempo era nosso inimigo precisava afundar meu cacete naquela xoxota gulosa e carente.
Não dei vez fui lentamente encostando o cacete e senti seus lábios vaginais, engolindo meu cacete cm por cm.
 Ai Flavia começou e gemer.
Eu atochei mesmo até senti que só tinha de fora os culhões.
Segurava em sua cintura e com movimentos de vai e vêm eu socava meu cacete todo, e ela gemia e rebolava pedindo mais.
Caramba 21 cm de cacete e ainda pedia mais a fome era muita.
Socava o cacete sem dó nem piedade.
Foram momentos de puro tesão eu me senti um verdadeiro garanhão galopando em uma potranca alucinada, quando mais eu socava mais Flavia gemia. Era bom demais metendo dando tapas em sua bunda gostosa que chegava estalar.
Aos poucos ela foi se entregando.
E com uma intensidade anormal, senti seu corpo estremecer de gozo, caprichei mais e acelerei com estocadas firmes e logo senti meu cacete se encorpar se preparando para o gozo final. Meu gozo se aproximava ai pensei é agora ou nunca.
Acelerei e tirei meu cacete de sua xoxota e com vontade enfiei em seu rabo.
Ela foi à loucura gemia e chorava pedindo pra tirar, mas é claro que não fiz isto fiquei acariciando sua bunda e ela aos poucos se acalmou e começou a rebolar.
A safada achava que eu ia dispensar de comer o rabo dela se enganou.
Soquei por mais de 5 minutos e explodi em um gozo intenso.
Ela uivava como se fosse um animal no cio. Pois Flávia gostou tanto que gozou intensamente, só que agora com meu cacete atochado em seu rabo.
O orgasmo simultâneo é o maior prazer que um casal pode sentir. Unidos em um só êxtase.
Foram muito bons os dias que passei na casa do meu tio.
Eu até penso que ele sabia de tudo, pois sempre deixava uma brecha então como não sou bobo aproveitava.
E não foi uma única vez que a comi em sua cama ela fazia questão, até parecia um fetiche de ela ser fodida na cama deles perto da hora do meu tio chegar do trabalho. Teve uma vez que tínhamos acabado de transar ele chegou  a safada saiu do quarto para receber ele e o beijou com a boca com gosto do meu cacete pois tinha me chupado bastante e eu tinha gozado em sua boca. Foi a minha melhor amante ela me provocava o tempo todo sentava na sala vento TV sem calcinha e eu em frente ela abria as pernas só pra me provocar, eu ficava louco de tesão. Sorte minha que tinha almofadas pra disfarçar.
Ficava com medo de o meu tio desconfiar. Quase perco até de ano, pois não tinha cabeça para estudar só pensava na putaria que ia fazer com ela assim que meu tio saia de casa.
Mais aproveitei o que pude ate que foi preciso mudar de casa fui morar só, mais ela continuava me dando na boa sem remorso algum de trair ele.
Até eu e um colega da faculdade fizemos uma DP, foi bom demais ver a safada gritar com nós dois atochando direitinho nela.
Ela gemia muito ainda mais que meu colega era um negro com um cacete enorme quando ele tirou do rabo e fomos inverter os papeis meu cacete entrou fácil fácil, pois meu colega arrombou direitinho ela.
Eu gostava muito dela mais queria mesmo era realizar todos os meus fetiche e os dela também e conseguir. Hoje sou casado e já estou bem escolado na arte de seduzir uma mulher.
Mais nunca deixei de dá meus pulos.
Sou muito grato a ela que soube me realizar como homem hoje sou um homem realizado e sei deixar minha esposa sempre realizada e feliz.
E claro que todas que caem na minha lábia ficam com saudades, mais procuro ser o mais discreto possível.
Pois o meu prato preferido e xoxota e nunca rejeito, deu espaço estou dentro.


Docecomomel(hgata)
Feira de Santana 22 de maio de 2015.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Vizinha putinha.



Olá eu sou o Paulo casado trabalho em uma indústria pelo turno da noite. Sempre quando vou visitar minha mãe que mora em um bairro  um pouco distante do meu ,eu vou sozinha,pois minha esposa trabalha e é em finais de semana que saímos juntos.Então para todos os efeitos tenho os dias livre para ir para onde eu quero.
Quando eu tive esta aventura que vou relatar abaixo foi em um dia que fui visitar minha mãe.
Quando passava próximo ao ponto de ônibus avistei a filha da vizinha de minha mãe a Adriana.
Moça linda morena de cabelos longos, olhos pretos boca carnuda e um par de seios que me deixavam louco de tesão. Eu babava de tesão quando a via na casa da minha mãe,mais como sou casado não podia dá bandeira.Parei ela veio até o carro ofereci carona,ela aceitou pois estava atrasada para o trabalho.
Ia dirigindo sem deixar de olhar suas coxas grossas, pois seu vestido teimava em subir, parecia que era para me provocar.
Conversávamos coisas amenas, ela com 23 anos solteiros um pitéu de gostosa.
Sem namorado foi o que ela me disse quando perguntei que horas iria sair do trabalho, ela me disse as 14.30 perguntei se poderia vim busca-la ia ficar o dia todo de bobeira na casa da coroa.
Ela disse que sim, foi que falei depois podemos sair comer algo?
Ela rindo falou sem problemas.
Uau delicia mais a única coisa que eu queria comer mesmo era ela a xoxota deliciosa dela.
Voltei para casa de minha mãe fiquei de boa conversando vendo TV almocei e falei que já iria embora, às 14 horas em ponto estava estacionado perto do trabalho.
Logo avistei Adriana, ela veio até o carro liguei o carro e sai andando a esmo pelo centro, claro que queria leva-la a um lugar bem aconchegante.
Quando passava perto de um motel reduzir a velocidade e fiz sinal de entrar, mais parei na portaria olhei para ela e dizendo e ai aceita ficar comigo por algumas horas?
-Ela disse você é louco eu conheço tua esposa!
O que tem eu conheço ela há muito tempo e como ela sempre.
-Engraçadinho!
-Sem dizer mais nada entrei pedi um apartamento estacionei o carro. Abri a porta e vim busca-la no carro,peguei-a no colo deixando em cima da cama.
-Ela toda melosa disse você é muito galante?
Mulher tem que ser tratada com uma flor.
-E rimos. Logo que entramos ela disse que ia tomar um banho deixa ela entrar no banheiro e logo fui atrás já estava super excitado ela estava de costas se ensaboando abracei-a por trás e meu cacete ficou roçando em sua bunda linda;Ela toda arrepiada eu com cacete duraço esfregava-me nela ,apertava seus seios,sua bunda gostosa e durinha.Comecei passar a língua pelo seu ouvido,e ia descendo pelo pescoço,ela tremia de tesão.Virei de frente para mim e comecei a beijar sua boca,chupar sua língua e com uma das mãos apertava o biquinho dos seios.Ela gemia ronronava parecia uma gata no cio.
Esfregava-a embaixo do chuveiro delirando de tesão, ai sai do boxe senão iria não aguentava e logo gozava. Ela se enxugou lentamente eu com os olhos vidrados em sua xoxotinha lisinha.Ela terminou de se enxugar peguei-a no coloco levando até a cama, comecei beijando seus lindos pezinho e fui subindo roçando a barba em toda extensão de suas pernas logo estava esfregando a barba d eleve  entre suas coxas roliças e  em segundos fui abrindo suas pernas que ficaram escancaradas ai  logo eu cai de boca naquela xoxotinha rosada e cheirosa.Chupava com muito gulodice ela gemia gritava arranhava meus ombros puxava meu cabelo forçava com os pés como se quisesse que eu entrasse em sua gruta linda e melada.Pedia implorava que a chupasse mais que enfiasse mais a língua em sua xoxota gostosa.Eu estava como louco chupando e mordiscando seu grelo,até pensei que não ia suportar em esperar para gozar dentro.Ai virei e meu cacete ficou bem junto a sua boca foi quando eu falei mama putinha neste teu cacete duro.
-Caracas eu nem tinha fechado a boca a safada abocanhou meu cacete e começou A me pagar o melhor e mais delicioso boquete de minha vida. Gemia e balbuciava palavras desconexas.Foi quando enterrei a cara na  xoxotinha dela,metia língua sugava o grelo roçava a língua no seu anel ela não aguentou começou a gozar na minha boca.
Saboreei cada gota de seu mel, metia língua bem dentro mesmo ela ficou mole seu corpo tremia todo. Nunca tinha visto uma mulher gozar tanto como Adriana.
Valeu a pena minha investida, pois foi uma das melhores trepadas que já tive fora do casamento. Ai fiquei deitado e puxei ela para cavalgar.
Safada sabia das coisas, sabia despertar o macho, ficou em pé sobre a cama e veio rebolando descendo como se tivesse fazendo um streaper tese. Agachou ficando de cócoras na direção do meu cacete que latejava babava de tesão, ai sentou sentia como se a xoxota dele estivesse febril de tanto calor que emanava de seu corpo. Ai foi só prazer ela subia descia.Eu segurava em sua bunda e socava sem parar.Adriana gemia gritava fazia loucuras m incitando com suas palavras obscenas.
Pequei a coloquei de quatro (4). E comecei a socar sem parar a segurava em seus cabelos fazendo como se fosse uma rédea e sem dó nem pena cocava até que ela não aguentou mais e pediu. Ai Paulo você me mata de fuder goza me da leitinho dá.
Eu dei mais umas estocadas fortes e enchi sua xoxota de leite. Gozei tanto e continuei socando por algum tempo que o esperma começou a sair escorrendo pelas pernas. Ela ficou quieta eu sai de cima fui tomar banho logo voltei pedi no interfone  algo para comermos e ficamos até bem tarde da noite só fudendo.
Até que já exaustos fomos embora e depois de uma semana saímos novamente só que dessa fez ela fez questão de me dá seu cuzinho é claro que fiz com muita vontade, mais Adriana gemia tanto que pensei que ia arrombar com ela.
Quando ela percebeu que eu estava com meus 21 cm todo atochado em seu rabo quis dá para trás, mais segurei em seus ombros e falei relaxa amor que o pior já passou soquei com muito jeito até gozarmos junto, sentir seu clitóris latejando nas pontas dos meus dedos enquanto eu gozava em seu rabo foi um prazer imensurável.
Coisas que acontecem uma única vez mais que são inesquecíveis para sempre.

Docecomomel (hgata)
Feira de Santana, 14 de maio de 2015.
Instagram:docecomomel 2011

domingo, 3 de maio de 2015

Ménage com filho e sua mãe.




Sempre uma variedade no cardápio faz bem. Olá! Meu nome é Marcos, atualmente tenho 37 anos e sou casado e com filho. Tenho uma vida normal como todo homem hétero, mas na minha juventude tive uma experiência homo que duraram alguns anos. Foi muito prazerosa e ainda hoje sinto muito tesão quando lembro os momentos prazerosos que vivenciei nos tempos de outrora que não voltam mais.
Para evitar problemas, usarei nomes fictícios e com idades também diferenciadas.
Eu morava em um sítio afastado da cidade e tinha um colega com quem sempre brincava, era meu vizinho. Nossas brincadeiras eram coisas típicas da idade e ainda mais que éramos do interior, coisas completamente diferentes de agora.
Os jovens, quando chegavam da escola, iam brincar no riacho ou então pegar frutas no pomar. Eu tinha esse colega da minha idade, com diferença de meses apenas. Um dia estava no riacho tomando banho, sem roupas. Era um lugar ermo. Só tinha mesmo muitas árvores e ficávamos brincando pulando de uma elevação. Notei que este meu colega ficava olhando muito para meu cacete.
Eu ainda não sabia o que era mulher, nunca tinha trepado, só batia punheta mesmo. Quanto tempo perdido, eu penso.
Pois bem, este colega se chamava Lucas, era filho único e sua mãe o vigiava demais.
 Quando atravessei o  pequeno riacho nadando, vim ficar junto a meu colega. Ele não tirava o olho do meu cacete. Fiquei inibido, mas sem lealdade alguma. Perguntei:
- Nunca viu um cacete, não, Lucas? Que droga! Não para de me olhar!
-Afirmei já furioso.
Foi quando, para surpresa minha, ele disse:
- Deixa-me pegar?
Senti de imediato uma ereção, mas falei:
- Se eu deixar pegar, você chupa ele?
Lucas não respondeu.
Veio para mais perto de mim, esticou a mão e segurou meu cacete.
Foi alisando e a cada momento, ia ficando mais duro. Ele se ajoelhou a meus pés, abriu a boca e começou a me pagar um boquete, o primeiro boquete de minha vida.
Que boca macia! Sua saliva molhava meu cacete  todo, deixando todo salivado. Caracas! Até hoje eu não aguento lembrar que fico excitado.
Eu queria parar, mas não conseguia, pois estava delicioso, estava sentindo sensações jamais sentidas pelo meu corpo todo.
Só quem lembra como é a primeira vez que pode distinguir como é o prazer que sentimos.
Pois Lucas chupava com intensa maestria. Aí comecei a apalpar a bunda dele, que era uma bunda muito bonita, até parecia que era bunda de mulher. E aos poucos fui encoxando-o mordendo seu pescoço.
Eu forçava meu cacete duro na sua regada, mas ele  não cedeu de imediato.
Eu sabia o que queria e ele também sabia que queria me dar. Então ele falou:
- Vamos ali que é melhor.
Nós dois fomos andando para um lugar onde tinha uma arvore caída.
Ele se apoiou ficando com corpo inclinado e disse:
- Vem que quero ser tua fêmea.
Claro que só sabia de sexo pelo que via dos animais do sítio, mas a mãe natureza ensina e logo eu estava com cacete entre sua regada forçando e nada, sem conseguir meter.
Ele disse:
- Cospe que entra.
Afastei o cacete, dei uma cusparada no buraco do rego, lambuzei meu cacete todo de saliva e fui com muita sede ao pote.
Forçava e parava o fazendo gemer a cada momento que meu cacete se alojava em seu rabo. Que bunda gostosa Lucas tinha. Eu apertava sua bunda,  fungava no seu pescoço e empurrava o cacete todo até que não tinha mais nada para meter.
Quando ele começou a rebolar com  meu cacete todo atochado em seu rabo, fui ao paraíso.
Delícia demais.
Eu alisava a bunda dele, dava tapas de leve, falava em seus ouvidos que sua bunda era gostosa.
Quando vi  que já não tinha mais nada para meter comecei a forçar dando estocadas fortes. Ele gemia, rebolava dizendo que estava gostoso. Seu corpo de encontro ao meu fazia um barulho imenso. Estávamos loucos alucinados e quando Lucas começou a gozar eu senti seu reto friccionar meu cacete latejando e apertando. Não aguentei comecei a gozar. Parecia um cavalo garanhão, pois foi meu primeiro gozo de verdade que não foi com punheta. Gozei de ficar largado, corpo suando, tenso, o primeiro orgasmo de um rapaz que até então não sabia o que era sexo de verdade.
Lucas ficou arfando, pois também era a primeira vez dele.
Assim ficamos íntimos e toda semana tínhamos o compromisso de trepar. Algumas vezes no riacho, outras em sua casa na ausência da mãe dele. Muitas vezes, ele doido para me dar, vinha até o nosso sítio.
 Éramos vizinhos.
Só bastava o tesão surgir e lá vinha Lucas louco querendo ser minha fêmea.
 Eu adorava transar com ele muitas vezes.
 Ele me deixava gozar em sua boca e ele bebia tudo. Não desperdiçava nada. Sempre dizia que eu era o macho dele, incondicional que poderia fazer tudo que eu desejasse...
Algumas vezes ele vinha com calcinha por baixo da bermuda e fazia questão de desfilar para mim. E claro que tudo era um tesão.
 Assim eu fiquei até meus 21 anos, com Lucas fiquei três anos sendo seu macho seu dono.
 Eu gostava mesmo dele.
 Sabia que podia contar com ele, não dava bandeira para todos, éramos amigos.
Aí um dia a mãe de Lucas me chamou em sua casa. Sou homem e não fujo da raia.
Ele perguntou se era verdade o que Lucas tinha dito a ela.
Eu respondi que só poderia afirmar se ela disse o que ele tinha dito.
Ela me olhou nos olhos e falou:
- Lucas me disse que vocês são namorados.
- Bem namorados, não. Mas que fazemos algumas coisas juntos eu afirmo.
- E mesmo eu sabendo, você continua com ele?
- Claro; fica até melhor, pois assim ele fica mais à vontade, mas tem que ser segredo só de nós três.
- Entendo... Você pretende se casar?
- Claro! Quero ter filhos, ter uma família. E posso também ficar com Lucas até quando ele achar que deve.
- Ah! Entendo.
Ela disse então:
- A partir de hoje vocês podem transar aqui em casa!
- Hum... Que legal!
Será bem melhor não é, Lucas?
- Claro que sim.
- Ele ainda um pouco tímido afirmou.
Depois disso, começamos a transar mais vezes, até deixar porta do quarto aberto deixávamos.
 Um dia a mãe dele entrou.
 Olhou para nós, fixou os olhos no meu cacete e disse que cacete grande, hein?
Sorrimos os três, mas logo eu disse:
- Quer segurar um pouco?
Ela olhou para Lucas.
 Trocaram apenas um olhar de consentimento, e logo ela veio até perto e começou a me acariciar.
-Eu, como sou bem safado, disse:
- Se quiser, podemos tentar a três.
- Hum... E tem tesão assim?
- Claro. Demoro bastante para gozar. Divido meu tesão com os dois.Concorda, Lucas?
Foi quando eu disse, afinal sempre quero comer uma xoxota.
- Claro amor! O que você quiser eu quero.
Pronto, o sinal foi dado. Tinha agora era que aproveitar e comer muito a coroa ,pois era tão safada quanto seu filho.
 Assim começamos a fazer ménage. Sempre uma ou duas vezes na semana, eu adorava estar comendo Lucas e a mãe dele, chupando, lambendo meus culhões. Eu fazia Lucas gozar e atacava a coroa, que gemia escandalosamente na cabeça do meu cacete.
E, por um bom tempo, ficamos assim até que precisei mudar do sítio pra cidade e tive que deixar meu amor maior para trás... Lucas e sua mãe. Depois de três, anos voltei ao sítio e eles haviam se mudado. Uma pena, pois até hoje quando me lembro das fodas que tive com Lucas sinto maior tesão.
Sem deixar de contar as inúmeras posições que a mãe dele me ensinou. Uma verdadeira puta safada. Agora o tempo passou. Sou casado, minha mulher não gosta de anal e eu fico com saudades dos tempos que passaram e não voltam mais.Sempre uma variedade no cardápio faz muito bem.


Docecomomel (hgata)
Feira de Santana, 03 de maio de 2015.
Bahia Brasil
http://sensacoescomemocoes.blogspot.com.br/

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Desabafo de uma mulher casada e infeliz







A rotina da vida a dois é um dos maiores motivos de separação entre os casais modernos.
A busca constante da autoafirmação e os prazeres carnais deixam sempre um pouco de insatisfação pessoal afetivo amoroso.
O homem em seu dia a dia tenta completar-se com fugas e traições.
Sua esposa e dona de casa dedicam-se aos filhos marido e casa.
Mas em sua totalidade sentem um vazio.
Falta o arrebol do sexo dos tempos de outrora quando o casal dividia seus momentos em transas espetaculares.
Sem importar-se que poderia chegar alguém ou se as crianças poderiam acordar.
Todo dia o sexo era realizado.
O casal não media esforços para ficarem sempre em conjunção afetivo e os prazeres carnais completavam seus dias de alegria.
O tempo foi passando as crianças cresceram os cabelos foram  enfraquecendo-se e a rotina foi inevitável.
Elza não media esforços para continuar jovem e bonita aos olhos de seu marido Marcos.
Academia sauna, aulas de dança e caminhadas.
Seu corpo tipo mignon chamava atenção por onde passava.
Seus cabelos longos com pequenos fios dourados davam um semblante serio, mas seu sorriso sempre presente em sua face jovial e bela.
Seu querido e amado Marcos sempre trabalhando tentando conquistar altos cargos na empresa multinacional, não acordava para a realidade que ocorria no seio de sua família.
Sua esposa estava só.
E como uma andorinha só não faz verão... Elza caiu em total descontentação.
Precisando de um terapeuta familiar. Com muita conversa
Franca e divertidas Elza finalmente resolveu confidenciar-se seu drama intimo com seu terapeuta.
Emerson um jovem em ascensão profissional, bonito solteiro e muito dedicado a seus pacientes viu-se envolvido emocionalmente com a sua mais nova paciente e amiga Elza.
com aquele desabafo Emerson ficou pasmo.
E sem querer ficou excitado, sua paciente e amiga queria um homem que lhe desse carinho amor e muito, mas muito sexo mesmo.
-Elza e seu esposo Marcos?
-Vocês não transam?
- Emerson entenda eu vou continuar vindo a suas sessões de terapia, mas na verdade o que eu preciso não é de conversas e conselhos.
-Emerson eu preciso mesmo é de um macho pegador que me faça sentir viva. Que me faça vibrar entre seus braços, que me leve à exaustão do me corpo, que me ame que me chame de sua.
Claro que temos sexo, mas é sexo morno sem grandes expectativas de orgasmos múltiplos como era em tempos de outrora. Marcos nem se preocupa mais com preliminares, fica quase só no papai e mamãe e gozou já sai de cima e dorme.
-E falando desta forma Elza me abraça e começa um choro profundo.
 Sinto o calor de seu corpo. Meus sentidos de homem me colocam em alertei estava seguindo para um caminho sem volta.
 Minha paciente carente eu distante de minha família.
 Apenas unir útil ao agradável em segundos nossas bocas se uniam em um longo beijo.
Adrenalina a mil começamos a nos beijar que nem dois loucos.
O tesão tomou conta da minha sala, ainda bem que era a ultima paciente e fazia poucos minutos  que minha secretaria havia dado boa noite. Era só eu e Elza minha paciente carente de afeto e sedenta de sexo.
 Enquanto nos beijávamos Elza acariciava meu cacete sobre a calça social, mas em minutos estávamos sem roupas meu divã iria ser usado como cama. Elza abaixou-se a começou a punhetar eu sentia prazer  a cada momento a dureza de meu cacete em suas delicadas mãos.
Aquelas sensações me levavam ao delírio.
Elza abocanhou meu cacete e mamava com muita vontade.
Ela sentada no divã conseguia chupar com total desenvoltura meu cacete que ia fundo até sua garganta.
- Que era profunda.
 Ela babava e mordiscava meu cacete aqueles preciosos momento eu sentia-me a mercê de uma mulher carente e sedenta de sexo.O sexo ansiado e desejado parecíamos  selvagens.
Eu segurava em sua cabeça e forçava mais fundo meu cacete garganta adentro.
Lágrimas escorriam de seus olhos, a baba descia pelos cantos da boca e Elza não soltava me olhava implorando sexo.
Senti meu cacete se avolumar e disse que ia gozar a excitação era demais.
Ela tira meu cacete da boca e pede para gozar em sua cara.
Parecíamos que éramos outras pessoas o êxtase deu lugar ao nosso lado vulgar.
Eu com uma paciente e Elza com seu terapeuta e amigo de seu marido.
Joguei para o espaço o que mais preservava que era a moral a ética o caráter e o respeito.
Era algo mais forte que nós e pensando assim explodi em um gozo.
Despejei vários jatos de esperma na cara de Elza, entre seus seios e ela esfregava por todo seu corpo. Uma verdadeira mundana.
Olhei em seus olhos e vi um brilho de satisfação. Coloquei-a deitada no divã com as pernas abertas e comecei a provar de sua xoxota que parecia que brotava mel.
Seus fluidos encharcavam meu rosto.
Deliciosamente safada senti seu gozo.
Ambos provamos do sexo selvagem. Sem limites.
Fomos até banheiro tomamos um banho rápido e voltamos para minha sala.
Elza com olhos arregalados não deixava de olhar meu cacete que parecia um porrete de rígido.
-Venha meu amor terminar nossa sessão de terapia.
-Elza soltou uma bela gargalhada e disse que terapia hein...
Botei-a de quatro (4) e recomecei a encostar o cacete na xoxotinha lisinha e molhada.
Ela sentiu a firmeza travou um pouco e logo relaxou comecei uma seria de estocadas que pareciam um bate estaca. Elza rebolava e pedia mais força.
Senti seu gozo. Sua xoxota ficou mais molhada ainda.
Tentava lhe dá o máximo de prazer metendo incessantemente.
Dava leves tapas em sua bunda tentando segurar meu gozo máximo possível.
Quando Elza gozou novamente me pediu entre gemidos...
Gosa no meu rabinho amor... Goza.
Tirei meu cacete de sua xoxota gozada e comecei a forçar em seu cuzinho.
-Isso meu taradão come tua cadela come...
-Ai que delicia.
-E Elza rebolava sem parar forçando mais ainda de encontro a meu cacete. Quando senti que cabeça tinha passado forcei um pouco mais e seus gemidos de  prazer eram como se fossem musicas.

Elza pedia de um jeito que parecia que o mundo ia acabar e seria sua ultima foda.
Segurei em sua cintura e forçando mais e mais estocava meu cacete todo que os sons de meus quadris em sua bunda soavam alto pela pequena sala.

-Toma Elza não e cacete que você quer toma mata teu desejo... Toma vadia safada.
-Ah que delicia me xinga,  maltrata tua puta, me xinga bate na minha bunda bate que vou gozar.
Aqueles momentos prazerosos nos deixavam alucinados.
 Não sou nem um jovem inexperiente, mas aquela trepada estava sendo uma das melhores que já tive na minha vida.
 Nem de longe parecia ser aquela mulher casta casada e amiga que eu sempre soube reconhecer.
Era outra pessoa pedindo sexo.
 Sexo selvagem sem limites que não seja exclusivamente o prazer.
Aquilo mexeu muito minha cabeça.
E ficamos no clima da safadeza até que não aguentei mais e explodi em um gozo.
Elza parecia à encarnação de uma prostituta.
Enquanto sentia meu gozo.
Ela olhava para trás e com um olhar de safada pede meu cacete para limpar.
Forço mais uma estocada e com as pontas dos meus dedos a faço gozar. Nossos corpos em convulsão.
Ficamos inertes por alguns minutos, logo depois ficamos abraçados no estreito divã.
Elza não poderia deixar de desempenhar seu papel de mundana. Retirou a camisinha e cuidadosamente me chupou deixando meu cacete todo limpinho.
Uma expert  em deixar um homem preso na armadilha do sexo.
Passado algum tempo Elza me olha e diz.
-Ah esta foi a melhor sessão de terapia que tivemos, com certeza não será a ultima.
-Claro sempre terá seu  ultimo horário as 4ª feiras está bom.
-Claro meu querido e se por algum motivo quiser sessão extra posso marcar?
-Claro estarei sempre aqui para servir e deixa-la saciada e feliz.
-Tenho certeza que meu marido vai gostar e agradecer pelo tratamento e será muito bem pago!
Espero... Espero.
-Assim acabou a sessão deixando minha paciente calma feliz e relaxada  saiu deixando agendada a consulta da semana seguinte.
Como dizem por aí quem não dá assistência abre vaga para concorrência.
“Então maridos cuidem de suas esposas e vice versa.”



Docecomomel(hgata)


domingo, 26 de abril de 2015

Trepando gostoso com meu vizinho coroa





Meu vizinho era safado,mas eu mais ainda.
Confesso a vocês que estava gostando da brincadeira de seduzir meu vizinho.
Olá eu sou Marcela tenho 32 anos sou solteira, sou morena com cabelos curtos, porém cacheados, seios de tamanho médios e uma bunda um pouco arrebitada.
Estudo e pratico esportes.
Sou personal trainner...
Ando diariamente no condomínio que moro.
Eu sempre que vou fazer minha caminhada pela manhã encontro um vizinho que me olha com cara de safado. Outro dia ele passava a mão em seu cacete com vontade enquanto eu estava fazendo aquecimento na quadra.
Era algo proposital, ele consciente ou não estava me assediando.
Foi aí que procurei saber quem era ele, a empregada da minha casa tinha a ficha dele completa. Quando eu perguntei a Ana ela logo me respondeu rindo.Ah deve ser o senhor Gustavo, e eu dei o retrato falado e ela confirmou.
É senhor Gustavo Marcela ele é divorciado, mas é muito safado já comeu quase todas as diaristas do condomínio.
Um tarado e caiu na risada, safado ele é, mas é muito gostoso.
E Ana ria e eu deduzi que até ela caiu na benga do coroa... Foi quando ela com cara de safada começou a falar!
E foi dizendo sabe como é ele me ofereceu carona e acabei dando para ele dentro do carro.
Quase me afoga com tanto gozo.
Eu ri dizendo, mas você não tem jeito em Ana?
Ah Marcela o meu marido só pensa em ficar na venda bebendo cachaça.
E eu na seca, nada demais umazinha para aliviar a pobre aqui e riu.
E ainda tem mais a mulher que se engane com seu Gustavo, pois é muito bom de foda.
Assim os dias foram se passando e meu vizinho eu nunca mais encontrei até que um dia...
Estando sozinha na piscina quando o encontro. Estava bonitos seus cabelos com fio brancos brilhava ao sol.
Eu estava tomando banho com biquíni azul e tinha acabado de sair da água, vesti uma saída e me dirigia ao bar quando passei por ele e com um gracejo disse-me.
Bem que me disseram que sereias existem!
Apenas sorri e fui tomar meu sorvete sentado em uma mesa que ficava de frente para ele não era muito perto, mas dava para notar seus olhares.
Depois de muito me olhar ele veio ate minha mesa e pediu licença e sentou e veio se apresentando.
Olá eu Sou o Gustavo seu vizinho e já não estou aguentando ver você tomar este sorvete, sem deixar de pensar como gostaria que eu fosse ele para sentir seus lábios saboreando-o como você esta fazendo com este delicioso sorvete de creme.
Entre a surpresa do momento eu fiquei sem palavras para responder.
E ele ficou ali sentado bem perto com os olhos vidrados no colo de meus seios. Depois sem mais nem menos ele convidou-me para comer uma pizza na sexta-feira à noite. Olha é claro que se seu namorado não se importar de você sair com um pobre velho apenas de companhia.
-Ah não se preocupe meu namorado está viajando para os Estados Unidos fazendo um curso, creio que não vá se importar que eu saia com um bom amigo e vizinho.
Com certeza que não vá se importar mesmo afinal que mal faz em sair para comer, não é mesmo, mas eu bem sabia que sua intenção era bem outra.
Na sexta-feira me arrumei vesti um vestido tomara que caia preto com uma abertura lateral e uma minúscula calcinha de renda preta que ficava enfiada no rego da bunda. Uma maquiagem simples e esperei seu Gustavo vir me buscar. Quando ele chegou achei-o muito bonito com uma calça jeans impecável e uma camisa polo bem alinhada.Seu sorriso nos lábios mostravam sua aprovação quando me olhou.
-Uau gata você está linda... Está vestida para matar este pobre velho vai ser invejado por todos hoje na pizzaria.
-Ah Seu Gustavo o senhor é muito gentil.
-Mas me faça um favor não me chama de senhor pode me chamar de Guto como todos os amigos o fazem!
Esta bem Guto, Obrigado por me considerar uma amiga. E assim fomos ate a pizzaria o Guto era só gentileza e xavecou-me o tempo todo, bebemos apenas um chope. E ficamos conversando e a todo momento sua perna tocava na minha ,realmente eu estava esperando apenas o tempo passar que com certeza iria esticar a noite com ele.
Que mal há. Sou livre de meus atos ele divorciado simpático e gostei muito dele com sua forma de tratar uma mulher desejando, mas sem ser vulgar.
Quando ele falou se eu gostaria de tomar uma bebida em sua casa antes de ir para casa.
-Aceito sim Guto afinal é bem melhor do que beber e sair dirigindo por ai, podendo causar um problema tanto para nós como para os outros!
-Menina de juízo é assim mesmo que penso, então vamos tem certeza que quer ir mesmo, pois bem sabes que a noite pode ter uma surpresa mais agradável.
Uau adoro surpresa e sorri sabendo o que estava por vir e desejando é claro... Esta conversa de gato e rato estava me deixando excitada.
Assim fomos quando ele parou seu carro na garagem de sua casa mandou esperar ate abrir a porta e eu entrei. Ele fechou a porta acendeu a luz e veio me abraçando e com seus lábios mornos começou a me beijar, sua língua entrava em minha boca deixando um gosto de morango.
Ah Marcela não sabe como te desejo... Ah Guto eu nunca nem notei, apenas via você me olhando e nada mais.
-Não sabe quantas punhetas bati em sua intenção quando a via passar andando com suas roupas de Cooper meu desejo era correr atrás e te prender e comer você até exaustão.
-Calma agora estamos aqui e cadê à bebida... Ri alto quando ele disse é mesmo agora estamos aqui e a sós e vamos aproveitar cada minuto deste precioso tempo. Ele saiu indo em direção a cozinha e voltou com duas taças de Martine com gelo.brindamos a nossa saúde e ficamos sentados no sofá ele veio me abraçando me beijando,apertava meus ombros acariciava meus seios,estávamos no maior clima quando ele levantou apagou a luz deixando apenas o ambiente em meia luz dando um clima mais ameno e prazeroso.Quando suas mãos encontraram o zíper do meu vestido lentamente foi abaixando,eu também procurei tirar sua camisa e ele tirou a calça assim ambos ficamos de roupas intimas.Sua cueca boxe preta mostrava em sua extensão um cacete volumoso que parecia que nem ia caber mais dentro da cueca.Quando seus dedos ágeis procuraram a minha xaninha e ele suspirou quando sentiu o fundo da calcinha úmida...Apalpou e levou ao nariz sentindo o aroma. Ai as gentilezas foram para o espaço Guto tinha uma boa pegada e foi me segurando pela cintura e falando ao meu ouvido.
Vem minha puta gostosa, vou fazer de você a maior vadia na cama... Vem gostosa deixa a vergonha de lado quero sentir você bem excitada rebolando com meu cacete atochado nesta xoxota gostosa...Sou seu macho agora e vou querer foder de todo jeito e posição quando seu namoradinho chegar vai te encontrar bem arrombadinha...
Ai delicia e sem dó nem piedade começou a esfregar seu cacete em minha xoxota que estava ensopada de tesão, quando me dei conta estava de quatro apoiada no encosto do sofá e Guto só roçando seu cacete que lambicava de tesão. Quando Guto começou a meter o cacete vi estrelas,pois me senti dividida ao meio era bem grosso o cacete e entrou rasgando e com estocadas fortes Guto metia sem dó nem piedade ,dava tapas na minha bunda dizia palavras obcenas.
Rebola minha safada... ah que delicia...
Eu vou gozar... ah safada vou te deixar arrombar de tanto te fuder...ai...Eu vou gozar.
E a cada minuto o prazer aumentava, ate que senti seu cacete se avolumar mais e Guto segurar com firmeza em meus quadris explodindo em gozo. Foi simultâneo também gozei de imediato ,sentia meu mel escorrer na cabeça de seu cacete.
Minha respiração ficou em compasso com as metidas e foi amenizando até ficarmos atracados fazendo planos e trocando juras de amor eterno. Ai já sabe depois deste dia o Guto é meu amante permanente e meu namorado corno em suas viagens fica se especializando para podermos casar. Enquanto isto vou me divertindo com meu amante e cada dia nossas transas são mais espetaculares.O Guto ate andou cogitando para que eu fique com ele permanente,mas eu disse que vou pensar.Que vocês acham desta ideia.
Eu acho que quem tem dois tem um então...


Docecomomel
11/112013

O Negão me enrabou...Eu gostei !

Fiquei com negão ele retribuiu com muito gosto e prazer...
A idéia que eu tinha de gays era totalmente errada. Eles chupam divinamente é claro mas se entregam de corpo e alma numa relação.Se comportam como madames ou putinhas.
Cada pessoa é um caso.
Depois da minha aventura que tive com um gay e paguei um boquete, eu fiquei com muita vontade de dá. Queria mesmo saber se recebendo um bom cacete teria tanto prazer como sinto quando estou comendo uma xoxotinha ou um rabinho.
Pensei muito e na falta de opção procurei o gay, que me induziu a fazer um boquete.
Liguei para ele marcando um encontro, eu não queria correr o risco de ser flagrado em um terreno baldio atracado com um negro bem dotado com cacete todo enfiado no meu rabo. Então o convidei a ir no motel.Ele concordou mas foi logo dizendo que queria também...Safado tanto quanto eu,só que ele tinha experiência em dá e eu não.
Assim fui ao encontro marcado com o meu fetiche “AGUENTOCACETUDOS”, assim que ele entrou no meu carro começamos um bate papo legal.
Bem no inicio eu estava meio nervoso, mas o cara foi alisando meu cacete eu com as mãos no volante nada podíamos fazer a não ser acelerar o carro.
Já perto do motel o safado abriu minha calça e começou a chupar meu cacete.
Fiquei super excitado, controlando para não perder o rumo. Afinal uma boa chupada tira qualquer um do sério.
Meu cacete parecia que era um porrete de tão duro.
Assim entramos no quarto do motel e Diogo rapidamente veio tirando minhas roupas dizendo que estava ansioso, desde dia que nos encontramos.
Sentei em uma cadeira o moço ajoelhou a meus pés e tome chupada, parecia que ia engoli meu cacete, tinha momentos que só ficava de fora os culhões.
Caramba estava muito gostoso mesmo a chupada o safado sabia muito bem o ponto fraco, a todo o momento engolia o cacete todo demorando na cabeça latejante. Depois de mais de dez minutos Diogo pediu leitinho na garganta.Ora como eu estava ali para dá e senti prazer não titubeei comecei com longos espasmos despejando grande quantidade de esperma em sua garganta.O safado gemia gostoso bebendo todo meu leitinho.Claro que eu dava uma ajuda segurando com firmeza sua cabeça para não deixar desperdiçar nada.
Uma verdadeira explosão de êxtase e prazer.
Diogo levantou ficando em pé a minha frente e assim pude ver com exatidão o tamanho de seu mastro, que mesmo comprimido mostrava ser enorme dentro da calça apertada.
Engoli em seco, pois a ficha caiu sabia que a parti daquele momento não poderia voltar atrás. Ia dá sim meu cuzinho virgem para ele.Fui e direção ao banheiro ele me seguindo ,eu tomando meu banho ele só me observando.
Assim quando eu ia saindo ele na minha frente nos tocamos e com uma rapidez imensa me abraçou acariciando meu corpo, deixando-me com sensações desconhecida e prazerosas se apossarem dos meus pensamentos.
Fiquei ali entregue os seus carinhos, ele sempre dizendo não pense em nada só no prazer que vou te dá, não forçarei, não vou te machucar e você vai gostar, relaxe em meus braços que você vai gostar.
E levando uma de minhas mãos a seu cacete, que estava super... Super latejante de tesão.caramba era enorme ,grosso uma tora negra me enlouquecendo de desejo .
Diogo acabou o banho e fomos para cama, depois riu falando que tinha certeza desde a primeira vez que eu seria dele.
Mas eu lhe disse que o medo o preconceito faz sempre que deixamos de curtir os prazeres da vida.
E afirmamos que não gostamos de algo que nunca provamos, deitados ambos iguais gato e rato esperando o momento inicial do grande momento. Assim que ele falou:
Deixa-me te dá mais uma chupada pra compensar o tempo perdido. Se entregue porque daqui para frente não tem volta,estamos entendidos?
-Ahhh. Claro.
É claro que eu meio tímido porque nunca tinha experimentado fazer nada assim, na cara limpa e com um homem muito bem fisicamente, que já demonstrou o que quer e gosta.
Só posso mesmo é rezar para seu cacete não me arrombe totalmente, mas que vou me entregar a dá e sentir prazer isto eu vou.
Pensando assim eu senti meu cacete aumentar de volume cada vez mais, mudei de posição e abocanhei seu mastro, começando um sessenta e nove (69).
A reação de Diogo foi de pura alegria, por eu ter tomado a iniciativa, não perdeu tempo e começou me chupar novamente.
Ele gemia gostoso,mas meu pau era médio,acho até pequeno apenas 18 cm estava bem duro.Comparado ao dele que não cabia em minha boca.O cara chupava mais gostoso que minha namorada.
Engolia todo cacete com uma destreza que nem engasgava nem nada.E sempre com um dedo alisando meu rabinho ,em alguns momentos colocava quase o dedo todo no meu cuzinho,caramba ai meu cacete ficava mais duro ainda.
Uma delicia de repente gozei montes na boquinha dele.Poxa eu nunca tinha gozado duas vezes seguidas em tão pouco tempo.
Eu adorei é claro.
Diogo mamou gostoso mesmo e saiu de baixo de mim.

Dizendo que queria despejar toda sua seiva no meu rabo.
Estremeci de leve sabendo que o tão almejado momento estava próximo.
Logo assim que ele me colocou de quatro(4) abriu a minha bunda dando pinceladas com sua língua quente e molhada, era gostoso senti a submissão do meu corpo aos prazeres da carne.
Quando ele se afastou um pouco colocou camisinha,e começou a untar o cacete com Ky passando no meu rabo uma quantidade.
Alisava com os dedos fazendo contornos,sem forçar,eu sentia como se tivesse com as pregas piscando.
Pedindo implorando para se penetrado.
Olhava de relance aquele cacetão preto grandão com uns 22cm.
Diogo alisava pra me mostrar que estava morrendo de tesão, o cacete dele era grandão e grosso.
Apalpava minha bunda,dava leves tapas,encostava cabeçorra.Preparava o momento.
Caracas eu fiquei morrendo de vontade de receber logo seu mastro,estava super excitado.
-Quando Diogo encostado a mim disse-me:Esta com vontade meu putinho está?
-Quer ver Dioguinho dentro do seu rabinho é?
-Vai gemer gostoso vai meu putinho safadinho?
-Quer que teu Dioguinho bote a cabecinha quer?
-Pede vai ...Implora por teu cajado no seu rabo meu putinho.
Caramba era gostoso ouvir sua voz, enquanto encostava seu cacete no meu rabo e sempre acariciando meu anel.
O psicológico pedia,implorava.
- Hum...eu gemia querendo ele.
-Quando falei em sussurro Diogo bota um pouquinho vai...Até eu aguentar.
-Vou colocar aos poucos meu putinho e tu vai gemer pedindo até os culhões ,meu puto safado.E vai virar meu freguês.
Era seu aperitivo preparar a ansiedade.
Quando Diogo começou empurrar de leve a cabeçorra ,vi estrelas no céu ,era uma dor,empurrava falando palavras suaves.
A dor deu lugar ao prazer e o êxtase.
A cabeça o passou ele parou ficou só acariciando ,punhetava ,até meu cacete ficou mais duro,minhas pregas latejavam.
Quando começou com um ritmo metendo e tirando o cacete todo não sentia mais dor ,sentia convulsões de prazer.
Diogo me segurava pela cintura puxando - me ao seu encontro.
Não segurei os gemidos pedindo que metesse com vontade, ora eu queria aquilo tudo dentro de mim pedia implorava que metesse gostoso.
Só tinha que aproveitar os momentos e sentir muito tesão.
Quando Diogo começou acelerar os batimentos cardíacos sua voz ficou rouca previ o mais sublime dos momentos o orgasmo.
Ambos chegando ao ápice do prazer.
Explodi em um intenso gozo molhando todo lençol, sem nem me tocar, ele segurava meu cacete com mãos suaves e protetoras.
Ficamos atracados com a respiração ofegante por alguns minutos depois senti seu membro sair de dentro de mim.
Depois de algum tempo meus olhos pareciam hipnotizados olhando aquele porrete preto,descansando como um guerreiro depois de uma longa batalha.
Um vencedor que soube sucumbir minha vontade aliando aos prazeres de ambos.
Depois deste fato eu me conservo no direito de dá quando acho conveniente.
Afinal meu corpo me pertence e fico no direito de usar como acho que devo.
Nem por este motivo deixei de comer as xoxotinhas da vida que adoro.
E ponto final.
Dou recebo e adoro.


Docecomomel(hgata)

21/02/2013.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Comendo minha empregada casada!




Tenho 27 anos, sou casado, mas como todo homem que casa ainda jovem e sem querer, mas por obrigação estou insatisfeito sexualmente no casamento casei porque ainda inexperiente engravidei a minha namorada logo de primeira quando comi seu cabaço.
-Ou casava ou morria foi o que o pai dela me disse. Então casei, mas não vivo bem com ela ainda mais que moro na casa da minha sogra.
-Minha mulher se dedica muito a nosso filho pequeno.
Como Luana estuda ainda tivemos que contratar uma empregada, para ficar com nosso filhinho enquanto minha mulher Luana esta na faculdade. Eu trabalho de turno muitas vezes estou em casa pela tarde toda,ou pela manhã,minha mulher estuda de tarde.
A empregada que minha mulher contratou é uma mulata alta com suas ancas grandes e seios grandes, acredito que tenha uns quarenta anos, ou até menos. Mas devido à vida de pobreza esta bastante desgastada e mal cuidada. Sempre gostei de uma coroa.
Eu quando estava em casa me pegava olhando para sua bunda.
E naquele dia em especial eu estava louco de tesão, ainda mais que fazia três dias que eu não transava, nosso filho teve febre e minha mulher atarefada e cansada não quis... Então pensei hoje se não for na mão grande eu tento com a empregada vez ou outra sentia que me olhava com cara de safada.
Minha esposa como de costume saiu logo depois do almoço para sua faculdade e eu iria ficar em casa, pois era alteração da escala só iria trabalhar na manha do dia seguinte.
 Eu não estava muito disposto em sair então resolvi tirar meu dia de folga todo dentro de casa. Lendo contos e vendo vídeos na web que adoro. Atiçou ainda mais meu tesão
Enquanto tentava dormi após o almoço ainda aproveitando,que nosso filho também dormia, ouvia o barulho da empregada perambulando pela casa.
Ela não era muito discreta sei que assim que nosso filho acordasse ela entraria no quarto pra pegá-lo, eu naquele dia estava com muito tesão ai pensei é hoje que tento a sorte com Elisa. Tudo estava a meu favor naquele dia ,também até minha sogra tinha saído.Fiquei na cama entre sonolento e acordado com um tesão do caralho.
Segurando meu cacete duro por dentro do short até que...
Meu filinho choramingou a empregada apressadamente entrou em nosso quarto não sei se sabia que eu estava ali, mas seus olhos me olhavam com muito tesão, pois eu estava muito excitado... Ela pegou  nosso filhinho deu mamadeira colocou de novo no berço pois o mesmo adormeceu.Eu levantei neste meio tempo e fui ate o banheiro.Meu short estufado mostrava que eu estava bastante excitado, voltei para cama e quando passei perto da empregada.Ela com a voz baixa me interpela perguntando o que eu estava fazendo em casa naquela hora,pois entrou n quarto sem saber de minha presença.
Estou de folga.
Ela me olhava com olhar fixo no meu cacete que não baixava de jeito nenhum.
Depois de me olhar muito ela exclamou com sorriso de safada vixe patrão o senhor está a perigo olha como esta de barraca armada... Pois é Elisa sua patroa me deixa na mão direto.
Imediatamente ela sorriu falando a patroa é boba não aproveita os prazeres da vida o tempo passa e nós ficamos perdidas no tempo. Queria que meu marido não bebesse tanto para me oferecer sexo como eu gosto, mas chega a casa caindo de bêbado. Ai sou obrigada a dar meus pulos entre um amigo  dele e outro vou me divertindo.
Surpreso lhe perguntei você trai seu marido Elisa?
-Sim ele bebe demais e eu gosto demais de sexo para esperar por ele.
Ouvindo-a responder fiquei com mais tesão, sempre olhava pra sua bunda grande gostosa e sou fissurado em bunda grande adoro sexo anal e mulheres de bunda grande são uma delicia de se foder.
-Hum... Interessante saber disto.
Você topa foder comigo agora?
-Ela não respondeu nada e saiu, fiquei preocupado achando que tinha colocado o carro diante dos bois, mas para surpresa minha a safada foi verificar a porta da casa se estava fechada e voltou para o meu quarto enrolada em uma toalha de banho.
-Pronto patrão se é sexo que quer terá sexo temos umas duas horas de liberdade ainda até o povo de a casa chegar. Aproximou-se e foi chegando e abaixou-se bem perto de minha virilha e sem  dizer mais nada abaixou meu short,meu cacete de prontidão atirou-se na frente de seu rosto.
- Nossa, Que delicia precisamos dar um jeito nisso.
-E antes que eu pudesse esboçar qualquer movimento, ela aproximou sua boca e sem cerimônia alguma começou a lamber meu cacete e logo já estava me pagando um boquete delicioso, chupava de uma forma que meu cacete sumia dentro de sua boca gulosa.
Sua boca era macia, eu em pé segurava em sua cabeça forçando ainda mais a garganta profunda.
Elisa não era nenhuma deusa, mas em termos de um boquete era impossível descrever a intensidade do prazer.
 Mas estava gostoso... E como todos nestas horas homem não pensa.
 Ela chupava com vontade e a única coisa que eu queria naquele momento era encher sua boca de leite. Quando ela falou no meio do boquete assim...
- Isso... Que delicia de cacete não vai gozar não,estou esperando seu leite. -Confesso parece que meu cacete dobrou de tamanho.
Segurei em sua cabeça tirei meu cacete bati com ele em sua face lambuzei seu rosto todo e perguntei entre um gemido e outro: A safada quer leite na boquinha quer?
Elisa com respiração ofegante respondeu quero mamar teu leitinho todo e abocanhou meu cacete. Forcei por alguns segundos e com um entra e sai desenfreado comecei a gozar, Elisa parecia uma bezerrinha desmamada se lambuzando com meu esperma, sugou e lambeu deixando meu cacete todo limpo.
-Caracas que delicia ela exclamou!
Não podíamos perder tempo em um minuto eu estava sentado na cama recostado e entre surpreso e saciado vi a safada chegar subir e sentar de vez com sua xoxota no meu cacete.
-Uau... Enterrou meu cacete inteiro na sua xoxota, nem dando tempo de amolecer...
E rebolando e gemendo com movimentos intensos de quadris Elisa começou a ter um orgasmo, senti seu liquido molhar meu cacete.
 Foi o gozo mais intenso que senti em uma mulher, seu corpo tremia de tesão seus gemidos só não foram mais altos porque tapei sua boca enquanto mordiscava seu seio provocando-a mais ainda.
Safada revirava os olhos gemendo gostoso.
Eu mais que depressa levantei e coloquei-a de quatro.
Com voz de macho dominador, falei tu quer foder quer... Então se prepare safada que vou te comer gostoso.
Peguei uma camisinha encapei o cacete dei uma salivada na mão passei pelo seu rabo e disse:
- Vou comer o seu cuzinho, e não adianta gritar dizendo que não quer quem está na chuva é para se molhar. Segurei a safada pelos quadris.
Posicionei meu cacete na entrada do anel que piscava de tesão, encaixei ouvindo seus gemidos de prazer e puxei com força. Ela gritou eu tapei sua boca e continuei...Enterrando meu cacete até a metade ,parei até se acostumar logo depois forcei mais um pouco e me vi todo atochado naquela coroa vadia.Eu tenho um cacete cabeçudo.
Enquanto esperei alguns segundos observava aquela bunda, dava-lhe tapas a safada gostando gemia como uma gata no cio, assim fui aos poucos metendo e tirando com ritmo cadenciado esperando seus gritos para que tirasse, mas que nada ela queria era mais cacete no rabo... Seus gemidos de prazer me incitava a meter mais e mais.
Só ouvia Elisa dizer:
- Poe todo meu macho, mete gostoso na tua puta vadia ela gritava,
Eu como qualquer um adoro comer um cuzinho.
E quando a mulher pede que meta com vontade, aí é bom demais.
E no momento era meu caso.
Estoquei por alguns minutos e dando tapas em sua bunda sem muito custo, gozei. Despejei uns três (3) jatos de esperma enchendo a camisinha.
Seu anel apertava meu cacete que parecia uma cabrita no cio.
- Ufa que delicia exclamei.
Elisa com cara de safada sorriu falando Só por isso?
E depois de alguns momentos tirei camisinha que saiu suja de sangue, e sem dá tempo de ir até o banheiro Elisa disse deixa que lavo seu cacete e deu-me um verdadeiro banho de gato.
-Acabando saiu e rindo falou.
-Patrãozinho agora não vai ficar mais com tesão acumulado estarei sempre disposta.
-Ah e segredo preciso do meu salário para viver. Nem precisa se preocupar minha puta que agora somos cúmplices na safadeza.
Eu comecei a dá dinheiro a Elisa e não fizemos mais sexo na minha casa nossos encontros começaram a ser uma vez por semana em um motel e percebi que ela começou a se arrumar mais.
Ficando mais bonita me dando mais tesão.E foi com Elisa que descobri uma variedade de posições que minha esposa e eu até então não fazíamos.
Nada melhor que uma mulher experiente para ensinar.
O final da aventura não foi como eu esperava, mas aprendi a dar mais valor às mulheres.
Minha esposa passou a fase de pós-parto e começamos viver normalmente como um casal jovem recém-casado.
-E Elisa vocês podem indagar... Ah Elisa é minha amante é com ela que faço minhas paradas Hard e sou seu Dono.
Safada adora ser minha cadelinha.E eu comecei a liberar meus fetiches e vamos ate fazer um ménage feminino,eu Elisa e uma sobrinha sua.E ela que está esquematizando esta parada.Eu fico só aguardando ansioso por este dia.Acordei para vida mulher e amante que me deixam saciados de muito sexo.Um complementando o outro
Elisa safada cada dia mais gostosa até comprar coisas sexshop para me agradar ela anda fazendo.
É claro que continua em minha casa e preserva muito nosso segredo.



Docecomomel (hgata)
Feira de Santana 27 de agosto de 2014
Bahia :Brasil

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Minha colega de trabalho puta gostosa








Eu confesso que sinto ciúmes da minha amiga do trabalho.
 Aquela FDP, é o tipo de mulher que por onde passa os homens ficam babando, me roubou o lugar no escritório quando eu já ia passar a ser chefe do pessoal quando ela entrou saindo de uma renomada faculdade.
Todo do escritório agora só tem olhos para ela.
Afinal não posso negar é uma morena clara, muito gostosa, com rosto muito bonito, cabelos lisos e pintados com fios claros. Uma falsa loira.
E uma verdadeira cavala no sentido de mulher gostosa e safada.
Eu fico louco quando olho para ela, mas a puta já se engraçou com o chefe que é muito safado e não dispensa uma funcionaria nova.
Eu sou casado meio calvo, mas sou bem simpático e sempre tenho umas amiguinhas dos escritórios vizinhos para sair na sexta-feira à noite antes de voltar para casa.
Adoro sexo, amo chupar uma xoxota lisinha faço de tudo para levar minha parceira ao delírio.
Aí depois de muito fazê-la gozar ai sim vou ao êxtase.
Mas esta minha nova colega está me tirando o foco só penso nela, imagino sempre ela cavalgando em meu cacete igual uma amazonas.
Mas eu sempre penso que terei a chance de possuí-la nem que seja por uma única vez.
Meu chefe tem um apart. hotel que sempre deixa reservado para seus encontros extraconjugais. Ele é um babaca só pega as mulheres  mesmo porque tem dinheiro e poder e dá presentes caros e finos levando-as para restaurantes finos e caros.Mas bem sei que na hora do rala e rola mal  consegue dá uma.Mas fazer o que as mulheres se deixam levar por prometi mentos financeiros.Eu me garanto com meus 40 anos de idade,saudável com cacete de 21 cm cabeçudo e cheio de veias.Adoro sentir os olhos vidrados de minhas putinhas em meu cacete,e quando começam  a chupar vou ao delírio.Demoro o máximo para gozar o importante é o prazer delas depois sim eu me acabo,adoro anal,mas nem todas consentem dizem que meu cacete é grosso,mas com jeitinho eu consigo e aproveito dando muito prazer com carinho faço-as gozar nas pontas dos meus dedinhos,seu grelinhos suaves como pétalas de rosa,se desmancham soltando seu néctar.
Naquela tarde de sexta-feira quando meu chefe me chamou até sua sala e começou a relatar que tinha um compromisso com uma moça muito prendada, mas por motivo particular não poderia ir e não conseguia o entrar em contato, pois o numero da tal pessoa para avisar estava fora de área...
Como eu sou de confiança me pediu que eu fosse até o local e desmarcasse o encontro.
Poxa eu pensei que pena não é chefe, ele indeciso falou nem me diga estou doido por ela e logo hoje me aparece este compromisso inadiável.
Tudo bem chefe irei e aviso sim.
Tome a chave pode ir com carro da empresa, fique com ele no final de semana está bom?
Na segunda conversamos!
E saiu apressado do escritório.
-Eu arrumei minha mesa olhei d um lado a outro vi que todos tinham saído.
Sexta-feira é assim mesmo.
Pequei o carro da empresa e fui direto ao Apart. hotel entrei e fiquei esperando vendo TV. Com poucos minutos alguém bate na porta, levanto do pequeno sofá e vou abrir espantado digo você aqui?
A colega nova do escritório parada ali na porta com os olhos espantados, disse que palhaçada é essa?
-Não é palhaçada querida o nosso querido chefe me pediu vir até aqui...
-Como você vim até aqui temos um encontro!
Pois é comecei a mentir eu vim no lugar dele.
-Ah é?
-Sim e como você já está aqui sugiro que entre.
-Verdade.
-Ela entrou ofereci uma bebida, coisa que aceitou e depois começou a falar Caracas que chefe nós temos me convence a sair com ele e depois manda um subordinado.
Pois é querida lá no escritório sou subordinado, mas aqui somos amigos e compartilhamos de muitas farras juntos. Veja até o carro ele deixa comigo em finais de semana,sem deixar de citar as mulheres que saio e dividimos numa boa ainda mais que o papai aqui é bem dotado ele adora ver as mocinhas gemer na cabeça do meu cacete.
Nosso chefe é bem safado adora ménage, gosta mesmo de safadezas.
Adora fazer Uma DP e sou parceiro dele nestas orgias.
Mas é claro com muito sigilo.
-Hum estou curiosa ver estes dotes que tanto você está dizendo, mais o chefe não vem?
Não hoje só eu se topar estamos aqui para o que der e vier. Abracei-a sem dá tempo de responder,fiquei me esfregando em seu corpo sentindo o calor de sua xoxota encostando em meu cacete,que começou a reagir rapidamente.
Ela toda safada entrou no meu jogo, começou a ronronar igual um ágata no cio.
Amores querido já que estou na chuva que me molhe ensope encharque, comecei a mentir precisa terminar a mentira.
Já que ele sempre consegue as coisas devido a ter dinheiro eu tinha mesmo era que aproveitar o momento, então resolvi ter um caso rápido no lugar do chefe com toda certeza ela não iria dizer nada.
Fui aos poucos tirando suas roupas, levei-a no colo até a cama olhando-a bem nos olhos fui tirando minha roupa, quando ela viu o tamanho da ferramenta sorriu falando.
-Uauu acho que vou me dá bem com você.
Fui até perto da cama encosto meu cacete bem perto do seu rosto, ela segura começar passar pelo rosto todo já deixando um pouco melado, pois o pré-gozo já estava soltando sua seiva, a deixo chupar com vontade, faço movimentos dos quadris como se estivesse fodendo sua boca até que subo na cama e começamos a fazer um sessenta e nove.
Que xoxota lisa gostosa, seu grelo quase não cabia dentro, durinho latejando em meus lábios. Em minutos senti seu primeiro gozo.Que delicia a filha da puta pagava de patricinha ,mais era uma verdadeira putona, esfregava sua xoxota na minha cara deixando toda lambuzada.Eu me deliciava com tudo isto,realizando meu sonho de ter em meus braços o que importava que foi através de uma mentira eu queria era fuder muito ela.E quando ela terminou de gozar deu uma virada na cama e começou a cavalgar no meu cacete fui ao deus.Potranca gostosa e safada é o sonho de consumo de todo homem.
Uma mulher de verdade é o que homem gosta.
Depois de vários minutos sentindo suas carnes suculentas e macias ensopando meu cacete, eu não aguentei coloquei-a de quatro (4) e afundei mais até explodir em um gozo insano e real.
Foram jatos leite que soltei em sua xoxota lambuzada e quente. Ela gemendo gozou novamente na cabeça do meu cacete, ficamos quietos abraçados de conchinha ate finalmente meu cacete sair de dentro. Logo fomos tomar um banho e entre risos e beijos ela disse-me,Carlos você é um amante e tanto.
-Ainda teremos mais momentos assim e com um pouco mais de tempo meu amor. Ai sim teremos um prazer mais brando. Ela sem dizer mais coisa alguma abaixou e começou a pagar um boque te sensacional. Meu cacete rígido quase nem cabia em sua boca.Ouvindo seus gemidos como se fossem musica,era uma coisa linda e maravilhosa poder está ali realizando meu fetiche.
Depois a coloquei apoiada na parede e comecei a dá um banho de gato, minha boca passeando por seu corpo tesudo de cabo a rabo. Quando vi que minha safadinha estava entregue aos meus desejos encostei meu cacete na porta do seu anel e com um jeito simples e delicado como se fosse uma alavanca elevei meu corpo fiquei completamente encaixado em sua bunda e fui aos poucos metendo meu cacete que entrou com um pouco de dificuldade, mas em instantes minha potranca rebolava na cabeça do cacete e com destreza e agilidade fiz minha putinha gozar gostoso falando palavras doces e melosas em seu ouvindo apenas sentindo sua respiração ofegante.
Não aguentei muito e explodi em um gozo inundando seu rabo guloso. Foi a foda mais prazerosa que tive nos últimos dias.
Eu nem consigo descrever em palavras o que senti, mas uma coisa tenho certeza meu patrão perdeu e feio, pois safadinha gamou e já marcamos de sair no próximo final de semana. Claro que vale a pena ficar um dia preso entre 4 paredes fazendo dela minha escrava sexual. Pois não vou deixar barato e se preciso for já levo um Cialis para evitar um embate físico.
Se ela que trepar eu quero muito mais.
Depois volto para contar como foi meu dia inteiro no motel com minha potranca linda e safada.

Docecomomel.


Feira de Santana, 17 de abril de 2015.
Bahia Brasil.
http://www.climaxcontoseroticos.com/

sábado, 11 de abril de 2015

Pegando namorado da amiguinha





Eu confesso que desde a 1°vez que eu vi o namorado novo de uma grande amiga minha eu senti muito tesão.
Estávamos em uma pizzaria quando ela chegou com ele, meus olhos não saiam de cima dele.
Tínhamos marcado de comer algo antes de ir para o show na cidade vizinha.
Eu e meu marido e mais dois casais de amigos.
Eu sentia-me uma adolescente olhando para aquele homem alto negro com sorriso um tímido. Era novo na turma.
Mas  a minha amiga bem sabia que eu e meu marido somos adeptos ao sexo livre, gostou comeu lavou está novo o importante é ser feliz.
Logo o carro que havíamos locado chegou foi opção nossos afinal todos gostam de beber em finais de semana.
Meu marido foi na frente conversando com motorista, eu e as duas amigas fomos ao banco de trás.
Todos conversando alegres e sorridentes. Mas na minha cabeça não saia à ideia de possuir aquele negão gostoso que era o namorado de minha amiga.
E logo ficou acertado de no dia seguinte eles irem tomar banho de piscina na minha casa.
Já fiquei feliz de saber que teria a chance de olhar aquele negão tesudo de sunga.
A conversa girava em torno do show, quando meu marido disse: Já que o show vai terminar tarde os amigos poderiam ir logo direto para nossa casa.
Todos concordaram e eu principalmente.
 Ótimo meu marido concordou em casa tem sungas e Milena pode emprestar biquíni para suas amigas!
Tudo bem foi geral a concordância.
Eu já fiquei de prontidão sabendo que minha amiga iria tomar todas e com certeza seria minha chance de pescar seu namorado.
O show foi maravilhoso eu bebi o mínimo possível bem ao contrário de todos com exceção de minha colega Diana, seu namorado teve que carrega-la do carro até o quarto.
Quando abri a porta para ele coloca-la na cama e me vi bem pertinho dele senti um intenso tesão.
Ele colocou ela na cama eu ajudei e assim do nada se foi querendo ou não no momento não percebi ele passou por detrás de mim e seu cacete tocou em minha bunda.
Estava rígido eu olhei para ele quando ele pediu desculpas dizendo que era tesão acumulado, pois namorada estava saindo do período e ainda mais que embebedou naquela noite que iriam curtir um pouco mais.
Que com toda certeza iria ter uma sessão de cinco (5) contra um para poder dormi.
-Com uma risada safada eu falei:
-Estamos empatados então, pois meu marido também estava chapado e com certeza já estaria roncando.
-Eu ia saindo do quarto quando Bruno este era o nome do negão namorado de minha amiga, me deu um beijo, e segurou com firmeza com as duas mãos em.
Minha bunda.
Correspondi e com um sorriso safado disse que poderia encontrar-se comigo em 15 minutos no quarto do final do corredor,
Deixarei a porta aberta com uma toalha pendurada.
Ele perguntou sobre meu marido, disse que não se preocupasse que estava dentro do controle.
Dei um beijão e sai dizendo que o esperava ansiosa...
Fui me certificar que todos estavam alojados, um casal amigo já podia ouvir os gemidos de dentro do quarto meu marido roncando com TV ligada, apagou a luz cobri com um lençol peguei um conjunto de baby deu e fui tomar um banho.
Tomei meu banho passei creme hidratante vesti meu babydool com um roupão por cima peguei um pacote de camisinhas e fui para o quarto apressadamente, mas sem fazer barulho.
Meu marido vai adorar quando eu lhe contar que o trai quando ele dormia.
Mas tinha que preservar o sigilo não queria que servisse de jacota perante seus amigos.
Entrei coloquei toalha na maçaneta deixei o quarto à meia luz fiquei na cama sentada esperando.
Logo a porta foi empurrada lentamente e Bruno entrou estava vestido com uns shorts estava sem camisa, seu tronco forte me excitava e quando Bruno me abraçou dando um beijo possessivo fiquei nas nuvens.
Tive certeza que minha noite encerraria com chave de ouro.
Foi tão gostoso aquele beijo que fiquei molhadinha. Bruno fechou a porta tirou meu roupão e começou a tirar minha roupa, caiu de boca em meus seios mamando como um bezerrinho faminto, eu gemia e com uma das mãos enfiei dentro do short e comecei a masturbar, o cacete grande e grosso quase não conseguindo fechar a mão.
Babava de tesão.
Bruno me segurou no colo e me colocou na cama, eu fiz um sinal que iria tirar colchão para evitar barulho, assim joguei colchão no chão e deitei.
Bruno veio por cima caindo de boca na minha xoxota meladinha e eu comecei a boquetá-lo.
Delicia de cacete, me sufocava, mas não deixei sair barato chupava e lambia a cabeça roxeada do cacete gostoso.
 E quando Bruno meteu a língua bem funda da minha xoxota não aguentei e comecei a gozar. Em segundos senti minha boca ser invadida pelo leite de Bruno, tentei não desperdiçar, mas era tanto que acabei deixando escorrer pelos cantos dos lábios. Ficamos abraçados com a respiração ofegante. Bruno pediu desculpas por não ter avisado que ia gozar, eu sorri dizendo que não tinha problemas e fomos tomar um banho.
Caramba que cacete gostoso, já estava duro de novo.
 Aí meus amores eu provei de um macho gostoso e fudedor.
Bruno me comeu no Box do banheiro de quatro (4).
Quando seu cacete começou e entrar eu me sentia como se estivesse dividida ao meio.
Foi estocada que pareciam que iam me arrombar dilacerar minha xoxota e quando anunciou o gozo e tirou seu cacete de dentro de mim direcionando para minhas costas, foi algo fenomenal receber  um banho de leite.
Parecia um cavalo despejando sua seiva deliciosa em uma potranca, e sem esperar já foi me chupando me fazendo gozar incansalvemente em seus lábios gulosos.
Queridos não posso negar, mas foi a melhor trepada de minha vida. Bruno um verdadeiro garanhão, adoro negros, sua forma física e seu poder de foder incansavelmente me atraem muito.
Acabamos o banho e voltamos para cama.
E recomeçamos os folguedos do sexo , na arte de trepar tem algumas coisas que apetecem muito mais mesmo do que propriamente o orgasmo.
Quando Bruno deitou-se no colchão e me chamou para cavalgar.
Ah aah ahh delicia... Eu amo meu marido, mas ele não varia muito nas posições e quase sempre a mesma coisa, papai e mamãe. Então quando estou com um amante quero comer de me lambuzar.
 Adoro sentir um cacete meter com  muita força em minha xoxota, amo ficar quicando em um cacete bem duro sem deixar de falar em anal.
Adoro... Ser currada sem dó nem piedade até chegar meu gozo e a exaustão dos meus sentidos.E assim eu e Bruno saboreamos com muito tesão e fizemos de tudo um pouco e já ficou acertado que  no meio da semana aproveitando o ensejo que meu marido vai viajar ele vir passar a noite comigo.
Eu vou adorar  ter ele na minha cama espaçosa e com toda certeza vou filmar para quando meu marido voltar ver e tiver certeza que a mulherzinha dele está sendo bem tratada.
Delicia nem  quero pensar o que vai rolar no meio da semana,
Mas finalizo aqui com beijo em todos e um pequeno aviso curtam a vida, pois ela é curta demais.


Docecomomel(hgata)
Estou no Climax Contos Eróticos

Feira de Santana, 11 de abril de 2015
Bahia Brasil
http:sensacoescomemocoes.blogspot.com/
http://www.climaxcontoseroticos.com/ler_conto.php?id_conto=359

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Transei com meu sogro ! E Agora?









Transando com meu sogro
Era uma quarta feira e como de costume meu marido foi jogar futebol com os amigos. Eram por volta de 17 horas quando meu sogro chegou à minha casa. Sr Mário (nome fictício), estava muito calmo e sorridente veio do interior fazer um check-up.
Fazia alguns meses que não nos víamos.
Ele é um coroa forte e se cuida muito bem. E depois que ficou viúvo vive como se fosse um garotão,até na forma de se vestir.
Ouço dizer que lá na cidade dele é pulador de cerca danado de bom.
Meu marido diz que a propaganda que corre por entre as coroas é que ele tem um cacete enorme.
Ai já viu as moças solteiras e casadouras ficam de olho nele.
Afinal é viúvo e mora sozinho por opção.
E tem bom padrão financeiro.
_Quando me indagou pelo filho e eu respondendo que havia ido jogar futebol, com um aceno negativo de cabeça afirmou.
_Homem que sai para correr atrás de bola e deixa mulher em casa sozinha, quer mesmo é um par de chifres!
_Ainda mais uma moça tão linda como você Marcela um verdadeiro pitéu.
_Ah meus tempos não deixava passar mesmo.
Rimos e prontamente fui levar a seus aposentos.
Então conversa vai e conversa vem, percebi que já estava ficando tarde e nada do Marcos chegar, algumas vezes eles se juntam tomar algumas cervejas, para recuperar as energias.
Foi o que disse para meu sogro, ele havia notado minha impaciência esperando meu marido.
Depois de alguns minutos Marcos chegou como eu havia deduzido com cheiro de bebidas, ficou surpreso com a visita de seu pai.
Quando conversaram seu Mário chamou atenção de seu filho por beber em dias de semana.
Mas abraços e risadas foram dados e assunto encerrado.
Quando estávamos deitados eu e meu marido este exclamou.
Poxa com painho aqui em casa, sei que você não se sente bem de namorar não é querida?
Não gosta de transar no silencio.
Pois é Marcos e hoje estou com um tesão danado.
Amanha painho vai embora e tiramos o atraso!
Dizendo isto me deu beijo e foi dormir.
Eu pensativa disse para mim mesma é Marcos você que pensa que o coroa vai embora amanha vamos ficar vários dias sem transar!
E virei e fui tentar conciliar o sono.
Passados dois dias eu e Marcos ficamos zangados, pois o mesmo chegou tarde a casa e isto não é certo ainda de fazer meus afazeres fazer sala para o sogro.
Caramba!
Isto é demais.
No dia seguinte a minha zanga com Marcos eu estava muito chateada e meu sogro notou, veio me indagando porque estava triste!
Respondi-lhe sinceramente que o Marcos estava impossível andando com mulheres na rua e até nossa intimidade estava comprometida e me deixava carente de sexo e amor.
Meu sogro viu-me chorando e abraçou.
Um abraço ternos, mas que teve efeito oposto.
Em seus ombros chorei e meu pranto lhe deixou excitado, sentia seu membro rígido encostado a meu púbis.
Ele desconcertado afastou-se, mas eu notava o brilho de seus olhos e sua excitação com minha aproximação.
No dia seguinte fui levar meu sogro em uma clinica bem distante de minha casa. Quando fui lhe buscar e já estávamos bem próximos a minha casa sentia que seu olhar percorria meu corpo.
Olhar incrustador que diz muita coisa.
Como desejo e tesão.
Eu fiquei excitada quando pensei o que meu marido me disse que o seu pai era super dotado. rssss
Imaginei e pronto enrubesci.
Mas seguir minha viagem calma e tranqüila.
Estacionei o carro e estava pronta para descer até que ele (sogro) me fez uma pergunta.
Perguntou-me se eu o achava atraente e se era de seu tipo de homem.
Sem saber dá a resposta exata, respondi que sim que ele era atraente e muitas mulheres gostariam de ter como parceiro.
Algo me surpreendeu meu sogro me deu um beijo de imediato que me tirou o fôlego.
Aquela boca tinha um gosto de pecado, másculo, sua língua aprofundando entre os meus lábios.
O que era proibido e permissivo tornou algo sensual senti faltar meu chão.
Meu intimo diz não.
Meu corpo clama por amor e muito sexo.
Não eu não poderia fazer isto!
Mas meu corpo traia meus pensamentos não resisti me entreguei a seus carinhos e quando vi já estava com suãs mãos em cima de mim.
Ele me beijava meu pescoço e mordiscava minha orelha, passava a mão em todo o meu corpo e se esfregava como se estivesse no auge do desejo.
AFF...Que loucura!
Quando ouvi entre sussurros Marcelinha vamos para um motel!
Vamos quero te mostrar como você merece ser tratada, como mulher e deusa.
Vamos... Minha gostosa!
Pois bem meus amigos sabem o que fiz?
Fui e me dei bem, que garanhão que macho no sentido maior da palavra.
Fui amada intensamente como há muito tempo não sabia como era ser desejada e cortejada.
Eu há tempos não sentia tantos prazeres. Este fogo que ainda existe e permanecia amortecido em meus desejos.
Depois desta traição que não foi provocada por mim.
Mas fui induzida pelo desejo de meus sentidos.
Muita coisa mudou na minha vida.
Continuo casada com o Marcos, mas anseio de verdade as visitas de meu sogro.
Que deixaram de ser esporadicamente e continuam sempre a me surpreender.
E que loucuras cometemos em nossas tardes de amor e muito sexo.
Mas ainda respeitamos o ambiente de nosso lar.
Só vamos a motel para tornar algo impessoal.
Como o Mário mesmo diz não deixar vestígios na mácula de nosso matrimonio.
Loucura ou desejos!
Bem nem sei responder, mas que é bom isto é demais.
Meu sogrinho bem dotado
Bom de cama.
Deliciaaaaaaaaaaaaaaaa.

Docecomomel(hgata)
Imagem do google
"Não confundam autor com sua obra"

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Desejos e Taras!








Sempre eu tive um grande desejo pelo meu primo Eduardo, queria sentir o calor de seus braços.
Mas naquele dia em particular não parava de pensar nele.
Ele estava tomando banho e deixei à porta do banheiro aberta eu entrei.
Assustei-me, mas fiquei quieta a cena que desenrolava no Box do banheiro era fenomenal.
Eduardo estava se masturbando!
E, diga-se de passagem, eu não sou muito conhecedora de órgãos masculinos, mas aquele cacete em riste com uma envergadura era exuberante no tamanho e na grossura, falar logo popularmente.
Era um senhor cacete.
Poxa mesmo depois do que eu vi na noite anterior o primo Eduardo e sua namorada transando ainda tinha pique para se masturbar.
Logo cedo. Hum isto é muito bom.
Um garanhão.
Só de pensar no que eu tinha ouvido e visto fico super excitada.
Mas fazer o que não é.
Só bater uma siririca e dormir.
Sentiam-me culpada por sentir intensos desejos, mas eu desejava-o ardentemente e não conseguia parar de pensar em fazer sexo gostoso. Sem limites.
Mas eu sabia que ele jamais tomaria a iniciativa, mesmo que eu sinto que sempre fica me olhando e não para de alisar o cacete quando estamos a sós para disfarçar uma ereção.
Fui tomar banho e me masturbei intensamente e tive um orgasmo maravilhoso.
Queria meu primo me possuindo fazendo-me mulher, saciar os meus desejos de moça recatada, mas com anseios de uma puta e safada. Claro que já dei para um namorado, mas na verdade anseio pelo primo Eduardo.
Eu não conseguia parar de pensar em fazer sexo
. Sentia vontade de ser uma puta.
Queria que ele me desejasse.
Mas precisava tomar iniciativa e fiquei pensando como!
E adormeci.
Já era bem tarde quando eu ouvi alguém chegando sai do meu quarto e dei de cara com Eduardo que estava chegando da casa da namorada.
Indaguei Eduardo chegando uma hora dessas, qualquer dia você já dorme com sua namorada.
Não...
Não Marcela dormiu não apenas namoramos e volto para o meu cantinho...
Bem apenas comentei, mas bem que se fosse eu não o deixaria vim embora tão tarde.
-Mas por quê?
-Ora Eduardo depois de uma boa transa ficar abraçado com seu macho até adormecer em seus braços é uma coisa muito gostosa.
Mas Marcela!
Você diz estas coisas sabe que qualquer homem pode pensar que está se oferecendo.
Eu mesmo se não fosse seu primo não resistiria.
Eu apenas me aproximei comecei abraçá-lo...
O peguei de surpresa, mas correspondeu aos meus beijos.
Ele disse bem é melhor ir para o seu quarto para se acalmar.
Não Eduardo preciso te dizer agora o que sinto, preciso desabafar.
Disse que estava doida por ele e que não conseguia parar de pensar em ter uma transa com ele.
Que já o tinha visto no banheiro, que fiquei louca de desejo,e que no dia que ele transou com namorada no quarto dele fiquei ouvindo, masturbei muito. Imaginava-me no lugar dela.
E tive convulsões e intensos orgasmos.
Mas... Marcela somos primos!
Não Eduardo não é parente lembre-se você é filho do marido de minha tia, não temos parentesco.
Mas me considero seu primo.
Considerações à parte, pois eu o considero homem e quero saciar meus desejos com você como homem e mulher.
Nada mais que isto Eduardo, vai fugir da raia?
E sem mais palavras comecei acariciá-lo e falei que ninguém precisava saber do que poderia acontecer que eu assumiria a responsabilidade de meus atos, mas que eu queria ser possuída por ele.
Ele ainda argumentou, mas não aguentou, pois eu o acariciava e seu membro estava rígido de excitação.
Fomos para o seu quarto depois de alguns carinhos,
Ficamos como enlouquecidos pelo desejo carnal.
Queria apenas sexo animal.
Ansiava por seu membro a rasgar minhas carnes.
Ele começou a enfiar forte o cacete na minha xoxota.
Pedia desesperadamente para ele meter com mais força.
Rebolava na sua frente sentindo cada estocada com força e vigor.
Ele me chamava de puta, vadia e safada, fazia-me se comportar como tal.
Quando ele começou a gozar chamando-me de vagabunda e piranha gozei junto
Foi tão gostoso o vai vem de nossos corpos, em um eterno bailar.
Ele encheu minha xoxota de esperma me senti uma vadia, mas completamente feliz...
Não consigo descrever como gozamos tão gostoso.
Mas em compensação abriu espaços pra muitas outras transas nossas.
E cada vez mais a intensidade do prazer aumentava sempre mais.
Eduardo passou e visitar meus aposentos diariamente, nossas noites eram de verdadeiras orgias, com muito sexo.
Delicia saber que Eduardo cada vez realizava uma fantasia nossa.
Ah... Depois eu conto como foi o nosso primeiro anal.
Afff...
Nem gosto de lembrar que fico excitada.




Docecomomel (hgata)

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Aventura com minha vizinha do condomínio...







Olá.
Eu sou o Marcos tenho 32 anos sou separado e moro sozinho em um condomínio.
Eu trabalho na indústria e minha escala de trabalho é diversificada, algumas vezes trabalho à noite e outras no turno durante dia.
Por isto meu organismo algumas vezes me causa disfunção e fico noites sem dormir.
Procuro fazer caminhadas dentro do condomínio. E estas caminhadas já me proporcionaram momentos inesquecíveis, tais como ver porteiro comendo alguma babá, ou alguma casada sendo visitadas por um vizinho, ou mesmo transas na quadra de esporte. Isto me despertou e passei a ficar mais atento as aventuras que pudesse surgir.
Assim em uma noite de muito calor saí dá uma volta na quadra em que moro e com passos lentos fui observando as casas vizinhas a minha.
Poucos eu conhecia, sabe como é a vida moderna, cada qual cuidando de seus afazeres e a falta de tempo nos impulsiona a solidão. Quando retornava a minha casa passei próximo a uma casa e ouvi barulho. Parecia de choros.Parei  e logo de dentro da casa saiu uma mulher em trajes de dormir.
Seu corpo exuberante transbordava sensualidade. A mulher me olhou e sem constrangimento algum me abraçou eu fiquei estático sem reação... Abracei perguntando o que houve que estava chorando,entre soluços ela respondeu-me que não tinha acontecido nada demais só que tinha acabado  o noivado pois descobriu que seu noivo a traia com outra em uma cidade próxima.
-Calmo foi à única palavra que consegui dizer, seu cheiro, o calor de seu corpo deixou-me em transe. E sem falar nada ela segurou minha mão e foi me guiando para sua casa.
Eu... É claro não opus resistência, mas fui entrando pensando em ter uma aventura, afinal tinha certeza que em sua cabeça queria se vingar de seu ex-noivo.
Entramos ela fechou a porta e ali na sala começamos a nos agarrar, ela parecia uma pantera selvagem, mas com meus carinhos foi se entregando e em minutos ambos já sem roupas fomos até seu quarto. •.
Claro que eu já sabia seu nome Clara morava sozinha, estava noiva se preparando para casar, mas soube da traição tinha despachado o otário, porque a mulher parecia um Boeing, seios durinhos e arrebitado, sua bunda tesuda.
Fiquei louco de tesão quando fomos para o banheiro, eu em instantes estava no Box recebendo um boquete e, diga-se de passagem, o melhor e mais gostoso boquete que tinha lembrança em minha mente.
E afirmo que já transei com tantas mulheres de todos os tipos e raças, que no momento meus sentidos só poderiam endeusar aquela sedutora mulher.
Sentir sua boca me chupando, foi algo maravilhoso, não sou bem dotado meu diferencial está na espessura, meu cacete grosso, cabeçudo e meu doce e safadinha Clara degustava com maestria.
Após varias chupadas eu comecei a gozar até pensei que a safadinha ia tirar da boca, mas enganei-me ela sorveu meu leitinho todo. Aproveitei cada segundo e logo me abaixei e foi minha vez de começar a chupar sua xoxota que estava toda molhada de tesão, dei varias linguadas e mordiscando seu grelo em instantes ela gozou.
 Entramos em êxtase e meu cacete parecia nunca ia amolecer, acabamos o banho e fomos para cama.
A safadinha já subiu na cama ficando de quatro eu fui inchando, meu cacete entre sua bunda, melava com meu pré-gozo e ela só gemendo, mas eu precisava me controlar e fui aos poucos a abrindo deixando seu anel exposto, e com lambidas fiz a safada gemer e implorar que fosse comida, mas... Com força.
Adoro sodomizar a parceira desta vez não fez por menos a fiz implorar para que a fodesse gostoso, coloquei camisinha e com tapas na bunda, de leve é claro o carinho é fundamental e fui aos poucos deixando mais desejosa de ser comida, a mão tratavam com carinho, revezando entre o grelo e o anel.
Quando comecei a forçar meu cacete em sua xoxota dedava seu anel que chegava apertar meu dedo, mordiscando... Mas a noite era grande tinha tempo para tudo e aos poucos ia estocando sentindo sua xoxota meladinha e assim fiquei metendo na xoxota gostosa em ritmo compassado ouvindo seu pedidos para que a comesse com força, seus gemidos eram altos teve momentos que pensei que ia desmaiar de tanto tesão que safada sentia.
Era momentos maravilhosos ver meu cacete todo atochado em sua xoxota, ficamos assim por mais ou menos meia hora ate sentir seu gozo... Estoquei com maior ritmo sentir seu corpo tremular e aos poucos vi minha safadinha se acalmar...
Falei a seu ouvido... Agora putinha é minha vez... Veja como meu cacete está latejando em sua xoxota aguenta  ai que agora você vai provar seu macho gozando dentro de você...Como se fosse uma gata ronronando ela respondeu...
-É o que quero é sentir seu gozo. Lentamente retirei meu cacete de sua xoxota melecada de seu gozo e comecei a forçar em seu rabo... Ela gemeu ai delicia.
Relaxa amor que terei cuidado com minha princesa e entre palavras suaves fui forçando até a cabeçorra romper ela gemeu forçou sair de baixo a segurei com carinho e fui aos poucos forçando... Metia um pouco e parava ate que ela colocou a mão para trás tateando e falou... Uau que gostoso já está todo dentro!
Pronto amor sou sua potranca pode galopar a vontade... Comecei uma sequencia de estocadas, puxava pela sua cintura, ora pelos seus cabelos e seus gemidos me atiçavam mais não aguentei nem dez (10) minutos já comecei a gozar. Ficamos atracados por alguns instantes,e entre beijos e carinhos íamos conversando.Nosso encontro inesperado nos rendeu uma noite de muito prazer.

Fomos tomar banho e antes de nos despedirmos ficou acertado que ligaria para outro dia um novo encontro que seria em minha casa ou se ela desejasse em um motel onde realizaremos todas as nossas fantasias.
Assim ocorreram mais dois encontros que foram momentos de muito prazer e êxtase... Mas o corno de seu ex-noivo deu uma de arrependido começou a cortejá-la e eu acabei sendo o amante dela até que se casaram e mudaram de cidade. Coisa que foi uma pena...Mas valeu os bons momentos,disto tivemos certeza.

Docecomomel (hgata)
Feira de Santana,
Bahia :Brasil.
Este e outros contos de minh aautoria você encontra no ==>>
www.climaxcontoseróticos.com


Ninfeta Safadinha Deu...Arrependeu !




Eu estava numa rua bem próximo a minha casa com um amigo meu...
Estávamos conversando amenidades.
Quando meus olhos se fixaram naquela ninfeta que descia a rua com seu rebolado que me chamou atenção.
Ela vinha em nossa direção.
Achei que era uma garota de mais ou menos seus 16 anos, mas depois fiquei sabendo que já tinha seus dezoito anos completos. Linda morena com olhos pretos e um par de seios que me deixou super excitado.
Fiquei babando para cair de boca naquele par de seios pequenos com os bicos eriçados.
Ela estava com uma mini saia rodada, preta e uma blusa branca super transparente.
Ela passou por mim e meu amigo e seguiu rua abaixo. Mas sem deixar de ouvir meu gracejo e retribuir com um sorriso. Mas seguiu em frente rebolando com seu gingado de menina faceira.
Meu olhar mesmo de longe a seguiu ansioso e desejoso de ter como mulher.
De repente ela da uma abaixada sem perceber que eu a observava e deixa à mostra a sua calcinha
Ao levantar ouviu o meu gracejo e “Eta coxas boas de mais hein”.
Apenas sorriu e seguiu seu caminho.
Eu me dirijo a ela e digo todo feliz!
Você quer companhia gatinha?
Ai ela olha... Dá um sorriso e continua a andar...
Novamente eu digo...
E ela não respondeu nada.
Mas adiante ela para e olha pra trás e me chama.
Você quer companhia gatinha gostosa! Parando alguns metros adiante e com um aceno me chamou
Ao me aproximar nos apresentamos e pergunto a ela pra onde está indo!
Ela diz que está indo para sua casa
Eu me ofereço a acompanhá-la e ela responde que sim
Íamos andando eu já com o cacete em ereção, foi quando indaguei que poderíamos ir algum lugar.
Onde podemos ir?
Qualquer lugar sossegado para conversar!
Ela diz pra eu dar uma ideia onde...
Ai eu gostei da sugestão.
Seguimos andando de mãos dadas.
A uns metros à frente em uma oportunidade eu paro em sua frente e lhe dou um beijo.
Que não foi rejeitado
Caminhamos mais um pouco e novamente lhe dou outro beijo. Mais possessivo de língua de tirar fôlego.
Não vi negativa em meus avanços. Estava super excitado e ela sentiu a firmeza de meu membro rígido encostado a sua virilha. Não afastou e gosto de ficar se esfregando em mim.
Já começo há investir um pouco mais com a mão
Passando a mão em sua bunda
E ela permite... Pensei é agora ou nunca que vou comer esta mocinha linda cheirando e desejando sexo.
Foi quando eu comecei a conversar com ela falando sobre sexo e que poderíamos transar numa boa. Ela assentiu com a cabeça. E respondeu..
Disse que o namorado dela não comparecia muito... Pois estavam brigados, mas que não era virgem e já tinha idade suficiente paras escolher seus parceiros.
Com a resposta vi e aproveitei a oportunidade.
E fui logo dizendo que poderia suprir este espaço e resolver sua carência afetiva e sexual.
Esboçou um sorriso... Inicialmente ela gostou da ideia.
Ai eu repeti o convite que foi aceito. Saímos para um lugar mais calmo...
Assim seguimos caminhando até que chegamos a uma rua deserta e escura.
Ficamos parados embaixo de uma arvore em um local de difícil acesso, a rua era sem saída ninguém passava por ali... , Encostamos-nos a um muro e começamos aquela esfrega.
Mas só eu estava passando a mão nela...
Acariciava sua bunda. Apalpava seus seios.
Uma delicia e rapidamente dava uma lambidinhas. Ela gemia de intenso prazer.
Afinal lugares publico são um problema tinha que ser discretos.
Já tinha percorrido os dedos na xaninha encharcada de tesão
Delicia brincar com os dedos na sua grutinha, isto me deixava mais excitado ainda.
Foi quando fiz um gesto e ela abaixou-se coloquei meu mastro para fora e ninfeta caiu de boca mamando meu cacete.
Eu gemia como um enlouquecido.
Aff... Como sabia chupar um cacete a menina. Seus lábios iam e viam por todo meu cacete.Fui aos céus a ponto de explodir em sua boca.
Quando ela levantou um pouco e disse que queria Fo der gostoso ali naquela hora, mas tinha uma condição!
Mas Érica eu deste jeito você super excitada falar em condição agora?
E guiei sua mão para meu cacete, ela discretamente gemeu, e continuou segurando a minha ferramenta de prazer.
Puta que pariu Luciano!
Mas você ta que tá uma delicia... Para você minha gata gostosa que me deixou assim.
Afirmei e indaguei qual a condição.
Vamos gata diga a condição!
Bem se eu te der agora minha xaninha, mais tarde quando meu namorado for lá a casa vai notar, pois vou ficar muito úmida.
Mas então!
Calmo Luciano eu quero fuder tanto quanto você me deixa falar.
Vou me virar discretamente como se tivesse abraçado a mim de costas e você come meu rabinho está bom?
Ah... Que delicia Érica.
Mas precisa ser devagar viu?
Claro minha gostosa que vou cuidar de você direitinho e você vai gozar bem gostoso no meu cacete, minha safadinha.
Aconteceu que em minutos a calcinha tinha sumido e discretamente de camisinha colocada em ponto de ataque.
Senti o calor de suas coxas.
Começamos a dança dos desesperados.
Érica se mexia no cacete e quando a cabeça entrou lentamente, ouvi gemidos ao ouvido.
Ela me dizia coisas que me deixava mais doido de vontade de fuder.
Da pra acreditar? Uma ninfeta rebolando no cacete pedindo mete todo ,me arregaça ,quero sentir teu pau todo dentro me preenchendo de prazer.
E como rebolava no mastro duro, que estocava com descrição, e depois de gemidos e urros explodo como um garanhão no cio enchendo-a camisinha de esperma.
Aff... Delicia sentir seu cuzinho latejante piscando no cacete.
Logo nos recompomos e...
Ela disse que precisava ir embora, mas tinha adorado e que fui bem cuidadoso. Mas que ainda iríamos acabar nossa foda com mais calma e tempo
Disse que tinha que ir embora porque o namorado iria a sua casa e também sua mãe não a deixava ficar na rua ate tarde Trocamos telefones e a ninfeta disse.
Droga bem que poderia ter te dado a minha xaninha, aquele besta do Marcos até para bolinar tem medo.
Mas amanha sairemos está bom Luciano e serei sua do jeito que você quiser.
E saiu rebolando indo para casa e de longe me jogou um beijo, apenas sorri e levei meus dedos ao nariz sentindo seu aroma.
Adocicado como mel.
Pois é a ninfeta arrependeu-se de não ter dado a sua xoxota, mas que a fiz gozar gostoso por via anal isto ela amou e eu também afinal um cuzinho virgem faz bem a qualquer cristão.
Depois conto a vocês a minha ida ao Motel com minha ninfeta arrependida.
É novinha a safadinha, mas que adora transar e nesta área é uma expert.
Adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii.


Docecomomel(hgata)
Imagem do google
http://sensaçoescomemoções. blogpot.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...